Usuários terão que pagar entre três e cinco centavos a mais na tarifa para usufruir da melhoria, pois o PL não define uma receita para cobrir os novos custos
Usuários terão que pagar entre três e cinco centavos a mais na tarifa para usufruir da melhoria, pois o PL não define uma receita para cobrir os novos custosFoto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco

Projeto de Lei encaminhado pelo Governo de Pernambuco à Assembleia Legislativa do Estado (Alepe) pretende estabelecer metas e condições para investimentos na renovação e refrigeração da frota de ônibus do Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife (STTP/RMR).

A expectativa é que de 39% a 51% dos coletivos circulem com ar-condicionado até 2023. Medida amplia e uniformiza a climatização da frota de coletivos, antes restrita às linhas que começavam e terminavam nos limites da Capital e da cidade de Olinda.

Leia também:
Ônibus devem ter ar-condicionado até 2023 e passagens podem ficar mais caras
Ônibus com ar-condicionado começam a circular em Olinda


Contudo, os usuários terão que pagar entre três e cinco centavos a mais na tarifa para usufruir da melhoria, pois o PL não define uma receita para cobrir os novos custos. Segundo o Grande Recife Consórcio de Transporte, atualmente, 16,36% dos coletivos trafegam com ar-condicionado, o que equivale a apenas 441 dos 2.696 ônibus da frota.

A aposentada Lindalva Falcão, 74, diariamente usa esse meio de transporte e sente na pele as altas temperaturas nos coletivos. “Quanto mais gente dentro do ônibus, maior o calor. É insuportável”, comenta. O desenvolvedor de sistemas Ítalo La Torre, 19, afirma que o período da manhã é um dos horários mais quentes dentro dos coletivos. “A gente acaba tomando algumas medidas, como usar roupas mais leves e claras”, disse. Para mudar situações como essa, a alocação prioritária dos veículos climatizados será nas linhas perimetrais, radiais e troncais e, secundariamente, nas de maior demanda, de acordo com o Governo do Estado.

Entre setembro e outubro, uma consulta pública gerou relatório da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), que encaminhou o texto final à Alepe. A renovação pretende atender a uma demanda dos cerca de 1,8 milhão de passageiros que utilizam os ônibus diariamente no Grande Recife.

A expectativa é que a proposta seja votada em Plenário da Alepe até o dia 20 de dezembro, quando o Legislativo entra em recesso. Para o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Marcelo Bruto, só é possível avançar de forma mais ousada na melhoria do transporte público se os custos da operação forem compartilhados.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: