Narcotraficante Joaquin "El Chapo" Guzman
Narcotraficante Joaquin "El Chapo" GuzmanFoto: Alfredo Estrella/AFP

O traficante mexicano Joaquín Guzman, conhecido como El Chapo, foi condenado à prisão perpétua e a pagar US$ 12,6 bilhões de indenização pela Justiça dos Estados Unidos nesta quarta-feira (17).

O juiz Brian Cogan deu a sentença em uma audiência no Brooklin, em Nova York. Ele determinou que Guzman não terá direito a pedir prisão condicional por 30 anos.O traficante também deverá devolver US$ 12,6 bilhões (R$ 47,4 bi), valor que teria obtido ao vender drogas nos EUA, segundo cálculos dos promotores.

Guzman foi considerado culpado por um júri em fevereiro das acusações de traficar cocaína, heroína e maconha, de realizar diversas conspirações e outros crimes.O júri ouviu 50 testemunhas trazidas pela promotoria, que revelaram detalhes do funcionamento do cartel do tráfico de drogas.


Leia também:
Quadrilha de traficantes de drogas sintéticas é desarticulada
Suspeito de tráfico é preso com crack embalado com adesivos de Thor no Recife


Os promotores não informaram quais bens poderiam ser apreendidos pelo governo norte-americano para serem usados no pagamento da indenização.Guzmán ganhou espaço no narcotráfico nos anos 1980 ao construir túneis na fronteira que permitiam ao seu grupo enviar drogas do México aos EUA mais rápido do que qualquer outro cartel.

No entanto, ele passou a maior parte da vida fugindo, entre esconderijos nas montanhas de Sinaloa. Escapou duas vezes de prisões de segurança máxima no México e foi capturado pela última vez em 2016, quando foi extraditado aos EUA.
Apesar da prisão de Guzmán, o cartel de Sinaloa segue sendo o principal fornecedor de drogas para os Estados Unidos, de acordo com o DEA, o departamento norte-americano de combate a entorpecentes.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: