Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump
Presidente dos Estados Unidos, Donald TrumpFoto: MANDEL NGAN / AFP

Anunciado na quarta-feira (11) pelo presidente norte-americano, Donald Trump, o veto à entrada de viajantes da Europa continental nos Estados Unidos entrou em vigor à meia noite deste sábado (14), no horário local (1h em Brasília). A medida, com duração de 30 dias, pegou de surpresa os aliados europeus de Washington, que reclamaram de não terem sido informados previamente de uma decisão tão importante -a rota aérea entre a Europa e os EUA é das mais movimentadas do mundo.

Os últimos viajantes europeus a desembarcar em solo americano antes do início das restrições disseram que a passagem pela alfândega foi normal: não houve perguntas sobre o coronavírus ou medição de temperatura. "Não vimos nenhuma máscara, nada, não houve checagens. A única parte boa é que não tinha muita gente no aeroporto, foi tudo rápido", disse à agência de notícias AFP Jean-Marie Demoor, 52, turista belga que vive na Espanha, após pousar em Los Angeles.

Leia também:
Trump declara emergência nacional nos Estados Unidos por causa do coronavírus
Trump diz que teste de coronavírus será realizado em larga escala
Sete países da Europa fecham fronteiras para estrangeiros

Entre outros esforços contra a pandemia do novo coronavírus, Trump declarou nesta sexta (13) emergência nacional, o que permite ao Executivo usar US$ 50 bilhões para combater a doença no país. O líder americano também decidiu que domingo (15) será um dia nacional de orações.

Ainda neste sábado, durante a madrugada, a Câmara dos Deputados dos EUA aprovou um pacote de medidas de emergência para conter a pandemia. Segundo o New York Times, o pacote inclui, dentre outras medidas, licença médica remunerada de até duas semanas para trabalhadores infectados e o oferecimento gratuito de exames médicos (os EUA não possuem sistema de saúde universal). A legislação, aprovada por 363 votos a 40, é fruto da negociação entre Trump e a presidente da Câmara, a democrata Nancy Pelosi. O texto segue, agora, para votação no Senado.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: