Jaty do Rego Barros, suspeita de estelionato
Jaty do Rego Barros, suspeita de estelionatoFoto: Reprodução

Investigada em diversos inquéritos policiais pelo crime de estelionato, a gaúcha Jaty do Rego Barros, de 33 anos, foi presa nessa terça-feira (14) no Recife. Segundo a Polícia Civil de Pernambuco, a prisão ocorreu por força de um mandado de prisão expedido em 2009. A mulher já havia sido presa em 2016, em Curitiba, no Paraná, após aplicar um golpe de R$ 10 mil na sogra. Jaty se passava por produtora de artistas famosos, como Anitta, Wesley Safadão e Ivete Sangalo e até por jornalista.

Leia também:
Procurado por estelionato é preso em Igarassu
Estudantes prestam queixa contra colega por estelionato e roubo de R$ 50 mil


Apesar de ter sido presa e condenada a dez anos de prisão em regime fechado, Jaty foi liberada há cerca de dois anos e voltou a cometer os mesmos crimes. Denúncias de pessoas que foram lesadas resultaram na criação de um grupo no WhatsApp chamado "Os Vingadores de Jaty", criado pelo contador e morador de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste pernambucano, Diógenes Rodrigues. O grupo reúne várias pessoas prejudicadas pela suspeita.

"Conheci Jaty em um hotel no Recife em 2015. Trocamos contatos e nos encontramos depois em Gravatá [também no Agreste] e ela pediu meu cartão de crédito emprestado. Quando pagou, ela fez um depósito em um envelope vazio. Depois disso, fui procurar o nome dela na internet e vi um monte de coisa contra ela", relatou Diógenes. Outros golpes aplicados pela suspeita - que costumava praticá-los em várias cidades de Pernambuco e até em outros estados - eram venda de jantar com cantores famosos, empréstimos e até venda de iPhones.

Um dos golpes mais recentes de Jaty foi a um cabeleiro do bairro de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. Ela se ofereceu como sócia do estabelecimento e deu um prejuízo de R$ 70 mil. "Ela fez o proprietário demitir todos os funcionários para comprar várias coisas, pegou empréstimo e depois sumiu", acrescentou Diógenes.

A suspeita foi levada à Colônia Penal Feminina Bom Pastor, na Iputinga, na Zona Oeste do Recife. As investigações sobre os crimes supostamente cometidos por Jaty seguem sob a responsabilidade do delegado Alfredo Jorge, titular da Delegacia de Boa Viagem.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: