Sandy Evelin Costa Bezerra foi assassinada em julho de 2015 aos 14 anos
Sandy Evelin Costa Bezerra foi assassinada em julho de 2015 aos 14 anosFoto: Reprodução

Quatro anos após o crime, a Polícia Civil de Pernambuco divulgou na manhã desta sexta-feira (20) o desfecho das investigações da morte da adolescente Sandy Evelin Costa Bezerra, assassinada em julho de 2015, aos 14 anos, em Olinda, na Região Metropolitana do Recife. Segundo o delegado responsável pelo caso, André Luna, a irmã mais velha da jovem teve envolvimento com o crime.

O delegado André contou que Silvaneide Maria Costa da Silva, atualmente com 26 anos, não tinha um bom relacionamento com a irmã. Ela chegou a informar aos executores do crime o local onde Sandy estava, roubou o celular dela depois da execução, e ainda ajudou a família a procurar o corpo da jovem.

Leia também:
Justiça aceita denúncia de homicídio contra militar que atropelou e matou cadeirante
Jovem é presa suspeita de dois homicídios em Camaragibe
Homem mata marido da tia com facada na garganta em Olinda, diz polícia


“Silvaneide e Sandy não eram filhas do mesmo pai. Existia muita inveja entre elas, além de discussões por conta de roupa e por conta do tratamento dos pais. Sandy era uma adolescente de 14 anos, e José Henrique Gonçalves de Santana, de 24 anos, conhecido como Chapa, um dos executores do crime, era traficante da localidade e estava aficionado nela”, afirmou. Ainda de acordo com o delegado André, Chapa já havia falado para Silvaneide tentar convencer a irmã para ficar com ele, mas a vítima não queria nada com o homem.

O delegado Augusto Cunha, que também participou das investigações, contou que no dia do crime Silvaneide estava em casa quando avisou aos executores que Sandy estava saindo para ir à igreja. “Chapa abordou e tentou convencer Sandy a ter relação sexual com ele. Ela negou e ele partiu para o uso da força, tentando estuprá-la. A adolescente reagiu e entrou em luta corporal. Nesse momento, ao perceber que não iria conseguiu o que queria, Chapa pediu ajuda ao amigo Walisson Wendel Feitosa de Araújo, de 22 anos, conhecido por Batata. Nesse momento foi iniciada um luta corporal entre os três”, detalhou.

Durante o crime, Chapa aplicou um golpe no pescoço de Sandy, que a deixou desacordada, acrescentou o delegado Augusto. Nesse momento, eles acharam que ela havia morrido e ligaram para Silvaneide, que foi ao local do crime apenas para pegar o celular da irmã. Após isso, Chapa e Batata jogaram a vítima ainda com vida dentro do canal do bairro de Sapucaia, em Olinda. "A adolescente aspirou água do canal e acabou morrendo afogada", acrescentou o delegado.

Ainda segundo o delegado Augusto Cunha, ninguém da família suspeitava do envolvimento de Silvaneide no crime e que a participação dela só foi descoberta depois que o celular de Sandy foi rastreado. “O celular foi encontrado com outra pessoa que disse ter comprado o telefone a uma terceira pessoa. Investigamos e chegamos ao dono de uma loja em Olinda que afirmou ter recebido o celular de uma moça. Ao mostrarmos a foto de Silvaneide, ele a reconheceu”, afirmou.

Em depoimento, a irmã disse que sabia da intenção dos executores e que se arrependeu do que fez. “No momento da prisão, ela disse que a vida dela tinha acabado e que queria se matar”, continuou o delegado Augusto.

Desfecho
José Henrique Gonçalves de Santana, o Chapa, já está preso por tráfico de drogas e teve o mandado de prisão pedido pelo assassinato de Sandy Evelin pela Justiça. Walisson Wendel Feitosa de Araújo, o Batata, foi preso nessa terça-feira (17) na própria casa, no bairro de Alto do Sol Nascente, em Olinda. Silvaneide foi presa nessa quinta-feira (19) e encaminhada para a Colônia Penal Feminina do Recife, no bairro da Iputinga, Zona Oeste da Capital, onde está à disposição da Justiça.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: