Ação da Polícia Militar em baile funk em Paraisópolis, São Paulo
Ação da Polícia Militar em baile funk em Paraisópolis, São PauloFoto: Reprodução

A Ouvidoria das policias (Civil e Militar) pediu o afastamento de seis policiais militares que participaram da ação em baile funk na favela de Paraisópolis que resultou na morte de nove jovens na madrugada de domingo (1).

"É preventivo afastar os policiais envolvidos na ocorrência em razão da complexidade dela", afirmou o ouvidor, Benedito Mariano.

Familiares de vítimas e sobreviventes acusam os policiais militares de encurralarem os frequentadores do baile e depois agredi-los em vielas. PMs afirmam que perseguiam suspeitos em uma moto. Eles teriam entrado no baile e atirado, causando correria.

Leia também:
Bolsonaro diz que lamenta a morte de inocentes em baile funk em Paraisópolis
'Meu filho foi assassinado', diz mãe de jovem morto em baile de Paraisópolis


A Polícia Militar informou que está investigando possíveis excessos e que um inquérito na Polícia Civil apura o caso.

Os jovens mortos na ação da PM tinham idades entre 14 e 23 anos. Até a tarde desta segunda-feira (2), apenas um dos corpos aguardava a liberação no Instituto Médico Legal.

As vítimas são:
Gustavo Cruz Xavier, 14 anos
Dennys Guilherme dos Santos Franco, 16 anos
Marcos Paulo Oliveira dos Santos, 16 anos
Denys Henrique Quirino da Silva, 16 anos
Luara Victoria Oliveira, 18 anos
Gabriel Rogério de Moraes, de 20 anos
Eduardo da Silva, 21 anos
Bruno Gabriel dos Santos, 22 anos
Mateus dos Santos Costa, 23 anos

veja também

comentários

comece o dia bem informado: