Saúde e Bem-Estar

Rafael Coelho

ver colunas anteriores
Rafael Coelho, e-mail: contato@rafaelcoelho.med.br | Instagram: @drrafaelcoelho | Facebook: /rafaelcoelho
Rafael Coelho, e-mail: contato@rafaelcoelho.med.br | Instagram: @drrafaelcoelho | Facebook: /rafaelcoelhoFoto: Folha de Pernambuco

Olá, leitores e internautas que acompanham a coluna de Saúde e Bem-Estar.

Sabemos da importância da prática de atividade física em todas as idades (crianças, adolescentes, adultos e idosos), pois o exercício melhora o condicionamento físico, o ganho de massa muscular, controla o peso e diminui o risco de doenças como o diabetes e hipertensão arterial. Claro que, em cada faixa etária, há o tipo mais adequado para que existam os benefícios e essas pessoas possam desfrutar disso.

Na infância, por exemplo, o mais indicado é o esporte em grupo para uma boa interação entre aqueles pequenos que estão em formação. O futebol é um bom esporte nesta fase. As crianças podem estimular o desenvolvimento ósseo, cardiovascular e aprendem sobre regras, por exemplo.

Adultos já procuram esportes mais isolados para resolver o estresse do intenso dia de trabalho. Ali será o momento de jogar fora aquele fardo. Esportes como boxe, ciclismo e corrida podem satisfazer muito bem essa faixa etária.

E o idoso? Você já parou para pensar qual poderia ser o melhor exercício físico para este grupo? Se formos analisar, notamos que boa parte dos idosos está ali nos parques e orlas praticando caminhadas ou alongamentos. Mas definitivamente estas não são as melhores opções de exercício. A medicina e a ciência do movimento evoluíram com pesquisas e chegou a conclusão que o melhor exercício para o idoso é a Musculação. De fato, pouco se vê pessoas acima de 60 anos praticando este exercício resistido. Mas as contribuições dessa prática são inúmeras, desde o ganho de força, por aumento da massa muscular, até a diminuição do risco de queda e fraturas. Lembrando que a queda no idoso é um dos piores prognósticos, pois causa dependência de outros, nos casos mais graves.

Além disso, a falta de tônus muscular leva à impotência, o que eleva o risco de depressão maior. Baseado em estudos, sabemos que idosos com mais massa muscular vivem mais, ou seja, tem uma longevidade maior. Dessa maneira, fica claro a importância da musculação no idoso. É preciso lembrar que estamos falando de pessoas sem contra-indicações, nas quais se exclui artropatias e outras doenças. O profissional que deve acompanhar o idoso na musculação é o educador físico, para diminuir riscos de movimentos maus realizados, evitando consequências negativas. Então, vamos ser idosos mais fortes? Vamos praticar musculação?

Essa foi a dica de hoje. Siga-me nas redes sociais e fique sempre atualizado com informações sobre saúde e bem-estar. Para quem é de Carnaval, brinque na paz. Obrigado e até o próximo encontro.

Equilíbrio é a dose de saúde de Túlio Gadelha no Carnaval

Túlio Gadelha

Túlio Gadelha - Crédito: divulgação

"Minha dose de saúde no carnaval é simples, chama-se equilíbrio. Não tem segredo. Pule, brinque e freve, mas se proteja do sol, use protetor e roupas leves. Bebida alcoólica sempre intercalada com água. Durma bem, conheça e respeite os limites do seu corpo. Tenha uma alimentação balanceada, principalmente de manhã. Lembre-se que passamos cerca de 8 horas em jejum, logo, precisamos repor nutrientes, ingerir ingredientes que nos proporcionem energia para aguentarmos o tranco da folia. E principalmente, busque equilíbrio espiritual, esteja bem com você mesmo e encontre a alegria na alegria dos outros, esse é o segredo da felicidade." Túlio Gadelha é Consultor Jurídico e Gestor Público

Pílulas de informação

Hemope aberto no carnaval

O Hemope Recife (que fica localizado na Rua Joaquim Nabuco, nº 171, no bairro das Graças) segue aberto para doações de sangue nesta segunda-feira e terça-feira de carnaval. Informações sobre horário no site: www.hemope.pe.gov.br

Prevenção à febre amarela
O Sistema Único de Saúde (SUS) oferta vacina contra febre amarela para a população. Desde abril de 2017, o Brasil adota o esquema vacinal de apenas uma dose durante toda a vida, medida que está de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS). Toda pessoa que reside em Áreas com Recomendação da Vacina contra febre amarela e pessoas que vão viajar para essas áreas devem se imunizar. Fonte: ANS

Saber viver

Cuidados com a saúde da boca no Carnaval

"Pernambuco ferve com o carnaval. A festa é também uma época marcada pela combinação de horas na rua, bebidas e muita paquera, que proporciona sempre beijos calorosos entre amores antigos ou até mesmo um mero desconhecido. O beijo é a prática comum dos foliões, o hábito pode transmitir doenças, pois a boca é uma porta de entrada para bactérias e vírus. As enfermidades mais comuns que podem ser transmitidas pela prática do beijo são herpes simples, gripe, sapinho (candidose), monocleose (conhecida como a doença do beijo), hepatite e sífilis”. Tais doenças são transmissíveis pelo beijo, uma vez que em uma única gota de saliva trocada podem existir mais de dois bilhões de bactérias.

O beijo deve ser dado com responsabilidade e que, para isso, a saúde bucal precisa estar em dia, levando em consideração os cuidados diários. Os dentes devem ser escovados após cada alimentação ou, no mínimo, cinco vezes ao dia. Para ter uma boa limpeza, deve-se fazer movimentos circulares de dois em dois dentes, seguidos de movimentos para frente e para trás. O uso do fio dental em todos os dentes também deve ser diário. 20% das bactérias estão em nossas línguas. Dessa forma, não podemos esquecer de escová-la ou utilizar um raspador lingual. Os enxaguantes, de preferência sem álcool, completam a higiene bucal. Essas medidas previnem doenças da cavidade bucal, como cáries e doenças periodontais". Marcella Azevedo é cirurgiã-dentista.

* Rafael Coelho (CRM: 23943/PE) é médico pós-graduado em Nutrologia pela Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) e atualização em Prática Ortomolecular. Atende em consultório particular na Clínica de Estética Contornare, no Recife. Atua nas seguintes áreas: Performance Esportiva, Distúrbios Metabólicos, Emagrecimento, Hipertrofia, Longevidade, Bioimpedância. É Diretor da Comissão de Saúde e Performance da Federação Estadual de Fisiculturismo (IFBB-PE).

* A Folha de Pernambuco não se responsabiliza pelo conteúdo das colunas.

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: