Protesto de motoristas de app no Recife
Protesto de motoristas de app no RecifeFoto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco

Cerca de 500 motoristas de aplicativo participam de uma manifestação no Recife na manhã desta quinta-feira (14). Entre as reivindicações feitas pelo grupo estão a segurança para a categoria. Eles pretendem entregar ao Governo do Estado um documento com o pedido. Agentes da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) organizam o tráfego durante o protesto.

O protesto ocorre um dia após a morte de um motorista no bairro da Várzea, na Zona Oeste da Capital. Eronildes Albuquerque da Silva, de 39 anos, foi assassinado a tiros na avenida General Polidoro.

Leia também:
Motorista de app é assassinado a tiros no Recife
Túnel da Abolição é interditado por problema na drenagem


Em concentração desde 8h30, os manifestantes partiram do Classic Hall, em Olinda, na Região Metropolitana do Recife, por volta das 10h, em direção ao Palácio do Campo das Princesas. Eles seguem pela avenida Agamenon Magalhães rumo à praça do Derby e depois para a ponte da Boa Vista, de onde seguem rumo à sede do governo estadual.

Além da segurança, os motoristas ainda solicitam outras pautas que consideram importantes para a categoria. O presidente da Associação dos Motoristas de Aplicativo em Pernambuco (Amape), Thiago Silva, ressalta que os condutores pedem promoção de ações integradas entre as empresas, governo e sociedade. "Apresentamos ao governo uma pauta no início do ano, mas estamos em novembro e nada foi atendido. Solicitamos integração e comunicação entre polícia e motoristas para combater a criminalidade, botão de pânico, ações com Alerta Celular e órgãos de trânsito".

"A violência não para de crescer. O tempo todo os motoristas de aplicativo são vítimas. A gente sai de casa e não sabe de volta. Isso é muito sério e revoltante", conclui Thiago ao relembrar que seis motoristas foram assassinados este ano no Estado.

Jeová Belarmino de Oliveira trabalha há três anos como motorista de app e relembra a motivação do protesto. "Os próprios aplicativos lançaram uma demanda de cobrança para o motorista sobre questões de segurança, mas em nenhum momento foi implementado. Temos um sistema fragilizado para o motorista, que vai pegar o cliente, mas não sabe quem está indo pegar. O passageiro pode pedir para terceiros, mas na hora que ocorre qualquer coisa na viagem não é responsabilizado", critica. "O que pedimos é segurança para todo mundo que trabalha de aplicativo. O motorista não tem a quem reclamar, a quem contestar", acrescenta Jeová.

O motorista ainda relembra um caso que passou em uma viagem, após pegar uma passageira no Janga, em Paulista, na RMR. "Ela estava indo para Abreu e Lima, mas um cara chegou depois no carro e puxou uma pistola dizendo que ia fazer cobranças. A única coisa que pude fazer era me tranquilizar e em nenhum momento reportei para o aplicativo. Era minha segunda viagem do dia. A grande contestação é que o sistema de aplicativo é escravagista e só quer saber do algoritmo", lamenta Jeová.

O que diz a SDS-PE
Em nota, a Secretaria de Defesa Social informou que tem fortalecido o trabalho de prevenção aos crimes em todo o Estado. "Além do trabalho investigativo, que busca prender criminosos o mais rápido possível, o policiamento ostensivo tem sido reforçado especialmente nos grandes corredores viários, por onde circulam veículos do transporte coletivo, táxis e os operadores de aplicativos. Só neste ano, mais de 6.400 armas foram apreendidas durante ações das Polícias Civil e Militar", disse a nota.

A pasta ainda classificou como "fundamental" que motoristas e empresas prestem queixa à polícia para possibilitar a prisão dos assaltantes. "Por ser aplicativo, com coleta de diversos dados dos clientes, a comunicação direta com as Polícias Civil e Militar deve ser rápida, facilitando a investigação. As Polícias do Estado já mantêm um canal de diálogo com os trabalhadores do setor para aprimorar as ações de prevenção e repressão", acrescenta o texto.

"Por fim, a SDS informa que, desde o final de 2017, Pernambuco vivencia uma retração em todos os tipos de modalidades criminosas, a exemplo dos assaltos e homicídios. Outubro passado foi o 23º mês consecutivo de queda dos crimes contra a vida e o 26º de redução dos roubos, na comparação com o mesmo mês do ano anterior", conclui a SDS-PE.

Protesto de motoristas de app no Recife
Protesto de motoristas de app no RecifeFoto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco
Protesto de motoristas de app no Recife
Protesto de motoristas de app no RecifeFoto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco
Protesto de motoristas de app no Recife
Protesto de motoristas de app no RecifeFoto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco
Protesto de motoristas de app no Recife
Protesto de motoristas de app no RecifeFoto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco
Protesto de motoristas de app no Recife
Protesto de motoristas de app no RecifeFoto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco
Protesto de motoristas de app no Recife
Protesto de motoristas de app no RecifeFoto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco
Protesto de motoristas de app no Recife
Protesto de motoristas de app no RecifeFoto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco
Protesto de motoristas de app no Recife
Protesto de motoristas de app no RecifeFoto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco

veja também

comentários

comece o dia bem informado: