Crime ocorreu na Escola Professor Antônio Benedito da Rocha
Crime ocorreu na Escola Professor Antônio Benedito da RochaFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Um estudante de 16 anos foi morto a tiros dentro do banheiro de uma escola municipal no Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, na noite dessa segunda-feira (20). O caso ocorreu no térreo da Escola Professor Antônio Benedito da Rocha, localizada na rua Escritor Israel Felipe, no bairro de Cidade Garapu.

Segundo a Polícia Civil de Pernambuco, Emerson Felisberto da Silva chegou a ser socorrido para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu no local.

Leia também:
Morre mãe do prefeito licenciado do Cabo de Santo Agostinho Lula Cabral
Estudante reage a assalto e morre a caminho do trabalho no Recife


De acordo com a Prefeitura do Cabo, que lamentou a morte, o estudante era aluno de uma turma da Educação de Jovens, Adultos e Idosos (Ejai), e o caso aconteceu quando alunos entravam no local. O crime ocorreu por volta das 19h, na troca de turnos de aulas.

Ainda segundo a gestão, o ingresso na escola é controlado por porteiros. A escola tem ao todo 1060 estudantes. No período da noite são 196 alunos e 10 turmas. São 30 turmas no total. Segundo a prefeitura, câmeras estão sendo instaladas em 27 unidades de ensino da cidade, incluindo a Antônio Benedito da Rocha. 

Informações preliminares da prefeitura apontam que Emerson morava com um irmão em uma residência próxima à escola e que os tiros foram desferidos contra a cabeça do estudante. Imagens de câmeras de segurança no entorno da unidade de ensino poderão ser usadas para tentar elucidar o crime.

Escola municipal ficou fechada após o crime

Escola municipal ficou fechada após o crime - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

A escola não funciona nesta terça-feira (21) e deve retornar às atividades nesta quarta-feira (22). "[As atividades] contarão com atividades de acolhimento para os pais, estudantes, professores e demais funcionários. Haverá também acompanhamento sistemático de psicopedagogas", acrescentou a prefeitura. Estudantes ficaram assustados com o crime. Um deles, que não quis se identificar, contou ao Portal FolhaPE que se sente seguro no local e que ficou surpreso com o que aconteceu.

O corpo do estudante foi transferido para o Instituto de Medicina Legal (IML) do Recife. A Polícia Civil informou por meio de nota que instaurou um inquérito para apurar autoria e motivação do homicídio. O caso foi registrado pela Força-Tarefa de Homicídios Sul e será investigado pela 14ª Delegacia de Polícia de Homicídios (DPH).

O estudante Wederson de Souza, 16, também de uma turma do EJA, contou que estuda no horário da noite, mas que o crime já tinha acontecido quando ele chegou no local. “Meus amigos me contaram o ocorrido. Eu não conheceria o Emerson, mas fiquei triste e com medo. A segurança na escola é ruim. Qualquer pessoa que colocar a farda, passa pelo portão e ninguém faz nada”.

Ainda segundo ele, é comum ver estudantes do turno da noite usando drogas nas áreas comuns na escola. “Aqui não tem câmera, não tem nada. Vários assaltos acontecem próximo à escola no turno da noite, mas o policiamento e segurança não melhora”, disse.

A estudante Marília Manoela da Silva, 13, é do 8º ano do turno da manhã. Ela disse que se sente insegura e com bastante medo. “Minha mãe também está com medo. Qualquer pessoa pode entrar na escola. Não existe segurança, só um porteiro que fica limitado ao controle dos alunos”, comentou.

O aluno José Lucas Silva, 15, do 8º ano B, fala sobre a falta de segurança. "Não tem vigilante. Era pra ter segurança, né?", questiona. "Também não tem câmera. Se tivesse era bem melhor", ressalta.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: