ENCHENTE

Nova cheia do Lago Guaíba cria fortes ondas em Porto Alegre

Como grande parte do Rio Grande do Sul, a capital está em estado de calamidade

Barcos do Iate Clube transportam gratuitamente no Guaíba, em Porto AlegreBarcos do Iate Clube transportam gratuitamente no Guaíba, em Porto Alegre - Foto: Anselmo Cunha/AFP

O aumento do nível da água do Lago Guaíba, no Rio Grande do Sul, em conjunto com fortes ventanias, criaram ondas em diferentes pontos da orla em Porto Alegre. A situação da enchente piora sobretudo em bairros ao sul da capital gaúcha, o que levou a mais uma evacuação na segunda-feira, 13.

Diferentemente do centro da cidade, que é protegido por um sistema de diques, a região está diretamente exposta à cheia do Guaíba. De acordo com a agência MetSul, o fenômeno se intensificou com o represamento das águas ao norte da Lagoa dos Patos, motivado pelo vento do quadrante sul, juntamente com a chegada da vazão do Rio Taquari. O resultado foi a rápida elevação do nível do lago desde a madrugada de segunda.

O bairro Lami, na zona sul, foi um dos mais atingidos, e moradores tiveram que deixar suas casas às pressas, enfrentando fortes ondas até chegarem a local seguro.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Folha de Pernambuco (@folhape)

 

Na terça-feira, o nível do Guaíba continuou subindo, mas em menor velocidade. Às 12h, o sistema de monitoramento da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) indicava nível de 5,19 metros.

Imagens divulgadas em redes sociais mostram a força com que as águas invadiram a cidade. Um dos vídeos mostra uma boia de navegação que foi parar ao lado das quadras esportivas da orla. Em outra gravação é possível observar brinquedos e equipamentos de ginástica submersos pelas que chegam até o calçamento.

Como grande parte do Rio Grande do Sul, a capital está em estado de calamidade. Há desabastecimento parcial de água e energia, escassez de mantimentos em mercados e diversos bloqueios em vias e estradas do entorno.

Segundo a prefeitura, cerca de 157,7 mil pessoas e 39,4 mil edificações foram diretamente afetadas pelas enchentes na cidade Os bairros mais impactados são Arquipélago, Sarandi, Menino Deus, Farrapos, Humaitá, Cidade Baixa, Floresta, Centro Histórico, Ponta Grossa, São Geraldo, Navegantes e Lami.

Em todo o Estado, segundo a Defesa Civil, ao menos 2,1 milhões de pessoas foram afetadas pelos temporais, que já atingiram 450 dos 497 municípios gaúchos. A contagem de desalojados é de 538 mil, sendo que quase 77 mil pessoas estão sendo acolhidas em abrigos. As chuvas já provocaram 148 mortes e 124 desaparecimentos.

Veja também

Vinte pessoas do voo da Singapore Airlines internadas na UTI
ACIDENTE AÉREO

Vinte pessoas do voo da Singapore Airlines internadas na UTI

Dois irmãos são presos em Surubim após matarem a ex-namorada de um deles em Olinda
POLÍCIA

Dois irmãos são presos em Surubim após matarem a ex-namorada de um deles em Olinda

Newsletter