Brasil

Nova fase de testes para vacina chinesa contra Covid-19 começa em 20 de julho

Produção de vacina contra a Covid-19Produção de vacina contra a Covid-19 - Foto: Douglas Magno/AFP

Os testes da fase 3 da vacina Coronavac, contra o novo coronavírus, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, que foram autorizados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), começarão no próximo dia 20. É a segunda liberação de testes pelo órgão. No dia 2 de junho, a Anvisa havia dado o aval à Universidade de Oxford, no Reino Unido.

Na semana que vem, chegarão os lotes da vacina vindos da China e será iniciado o processo de distribuição para os centros de pesquisa. A pesquisa clínica será comandada pelo Instituto Butantan. O objetivo é testar 9.000 profissionais de saúde de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Brasília, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.

"Essa é uma etapa de fundamental importância na vida do país e na vida e na saúde de milhões de brasileiros. Os voluntários deverão se cadastrar a partir de 13 de julho, por meio de um aplicativo. Na sexta-feira (10), o governo divulgará as informações para a inscrição.

Para participar dos testes, é preciso ser maior de 18 anos, não ter infecção prévia e nem doenças ou alterações que impeçam a vacinação, não participar de outros estudos e não estar grávida. Os participantes dos testes atuarão no atendimento a pacientes com Covid-19.

Os testes da fase 1 e 2 já foram feitos em animais e seres humanos adultos saudáveis, respectivamente. Desde o início da pandemia até esta segunda-feira (6), o estado de São Paulo somou 323.070 casos de Covid-19, de acordo com dados apresentados pelo coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus, Paulo Menezes.

O número de infectados é 1% maior que o registrado neste domingo (5), quando a contagem chegou a 320.179. Em relação aos óbitos, o aumento foi menor que 0,5%, passando de 16.078 para 16.134. A taxa de letalidade pela doença está em 5%. "Nós já realizamos aqui em São Paulo mais de um milhão de testes. Estatisticamente, teremos mais casos, como já tem ocorrido nas últimas semanas. E por quê? Porque estamos testando mais e vamos continuar a testar", afirma o governador João Doria durante entrevista.

Doria anunciou a distribuição de mais de meio milhão de testes para o estado. "Melhorar o diagnóstico aumenta o conhecimento da pandemia e reduz as subnotificações. O objetivo principal é reduzir a curva de óbitos e isso nós estamos conseguindo em São Paulo", diz Doria.

Pela segunda semana consecutiva, São Paulo teve queda no número de óbitos por Covid-19. Houve uma diminuição de 36 mortes na semana que acabou no último domingo em relação à anterior. Se compararmos os períodos, foram 1,769 óbitos contra 1.733. a taxa de letalidade está em 5%. É o índice mais baixo de toda a série histórica.

A taxa de ocupação de leitos de UTI está em 63,9% no estado e 63,3% na Grande São Paulo. Internados nas UTIs com confirmação ou suspeita da doença somam 5.501 pacientes; outros 8.023 estão nas enfermarias.

Veja também

Brasil terá maior fábrica de vacinas da América Latina
Vacina

Brasil terá maior fábrica de vacinas da América Latina

Senado aprova uso de recursos para compra de máscaras e álcool
notícias

Senado aprova uso de recursos para compra de máscaras e álcool