SAÚDE

Nova vacina contra dengue, Qdenga começa a ser aplicada em Pernambuco

Imunizante estará disponível nesta fase inicial apenas na rede privada, como clínicas, laboratórios e farmácias

Vacina Qdenga, imunizante contra a dengueVacina Qdenga, imunizante contra a dengue - Foto: Divulgação/Takeda

Começa a ser aplicada no início de julho em Pernambuco uma nova vacina contra a dengue, a Qdenga, produzida pelo laboratório japonês Takeda Pharma. O imunizante é o primeiro liberado no país para pessoas que nunca entraram em contato com o vírus da dengue - e também poderá ser aplicado em quem já teve a doença. Não há necessidade de teste pré-vacinação.

Em Pernambuco, o Cerpe irá oferecer a vacina em suas quatro unidades de imunização - Boa Viagem I, Casa Forte, Cerpe Prime e Derby. O laboratório também oferta atendimento móvel, que vai até o paciente em seu local de maior comodidade.

Disponível nesta fase inicial apenas na rede privada, como clínicas, laboratórios e farmácias, o valor de cada dose deve ficar entre R$ 301,27 e R$ 402,05, segundo preço tabelado pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED). O valor varia em cada estado. No Cerpe, o paciente pode consultar o valor no momento do agendamento no site - neste link

Como a vacina deve ser administrada em duas doses, com intervalo de três meses entre as aplicações, o preço do esquema completo de vacinação ficará entre R$ 600 e R$ 800 no Brasil.

Pernambuco registrou a primeira morte por dengue este ano, na semana retrasada. A vítima foi uma mulher de 62 anos, que morava em Limoeiro, no Agreste do Estado. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE), a mulher morreu no dia 26 de abril deste ano e tinha histórico de hipertensão diabetes e tabagismo. Este ano, já foram confirmados 1.470 casos da doença transmitida pelo Aedes aegypti

O novo imunizante protege contra os quatro sorotipos do vírus, o que confere uma proteção robusta. A Qdenga pode ser administrada em pessoas entre 4 e 60 anos de idade. 
 
“Temos visto, no Brasil, um aumento do número de casos e hospitalizações por dengue nas últimas décadas o que impacta, além da pessoa que adoece, nos serviços de saúde e na sociedade. A disponibilidade de uma vacina que não necessita de uma sorologia positiva é uma ótima notícia para aliviar a carga da doença. Devemos recomendar a todos que se vacinem o quanto antes”, afirma a Maria Isabel de Moraes-Pinto, infectologista e consultora em vacinas da Dasa.  

Eficácia
A eficácia geral da Qdenga é de 84,1% a partir de 30 dias do esquema de três doses, enquanto a eficácia contra as formas que requerem hospitalização é de 90,4%.

Os índices foram obtidos por 19 estudos de fases 1, 2 e 3 com mais de 28 mil crianças e adultos, incluindo um estudo com seguimento de dados clínicos por 4,5 anos. Decorridos 4,5 anos do esquema vacinal, a eficácia contra as formas que requerem hospitalização se mantém alta, em 84,1%
 
A nova vacina é feita com vírus vivo atenuado, portanto não é recomendada para pessoas com alguma condição de imunossupressão, gestantes e lactantes. Por outro lado, quem já recebeu a Dengvaxia, vacina anteriormente aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), pode tomar o novo imunizante, idealmente seis meses após a última dose.      

Veja também

ONU alerta que faltam 'muitas questões a resolver' antes da COP29
COP29

ONU alerta que faltam 'muitas questões a resolver' antes da COP29

FMI aprova desembolso de US$ 800 milhões para Argentina
Argentina

FMI aprova desembolso de US$ 800 milhões para Argentina

Newsletter