Coronavírus

Nova Zelândia estuda prorrogação do confinamento em Auckland

Jacinda Ardern, primeira ministra da Nova ZelândiaJacinda Ardern, primeira ministra da Nova Zelândia - Foto: Marty MELVILLE / AFP

A Nova Zelândia planeja prolongar o confinamento de três dias em vigor atualmente na maior cidade do país, Auckland, após a detecção de um novo foco de infecção de coronavírus de 17 casos. O diretor geral de Saúde, Ashley Bloomfield, anunciou que 13 novos casos foram registrados, todos vinculados às quatro pessoas da mesma família que apresentaram resultados positivos para o coronavírus na terça-feira.

A descoberta dos casos encerrou um período de 102 dias sem contaminação na Nova Zelândia. A ordem de confinamento em Auckland expira na sexta-feira à meia-noite. Profissionais da saúde trabalham na identificação da fonte do foco de contaminação, destacou Bloomfield. "Queremos conhecer a magnitude o mais rápido possível e, por isto, testamos todos os familiares, contatos casuais, colegas e familiares", disse.

Entre os novos casos está um estudante de uma das maiores escolas do país, que tem mais de 3.000 alunos, afirmou Bloomfield.

A primeira-ministra Jacinda Ardern indicou que o governo espera mais casos relacionados com o novo foco. "A lição que aprendemos com a primeira onda de coronavírus é que uma vez que se identificada a fonte de contaminação, ela se desenvolve antes de diminuir", explicou.

Depois de classificar a situação como "séria e grave", Ardern disse que o governo administra a questão de maneira "urgente, mas calma e metódica". Os resultados da investigação nas próximas 24 horas devem definir a ampliação do confinamento, afirmou Bloomfield.

Veja também

Brasil acumula 141.406 mortes pelo novo coronavírus
Saúde

Brasil acumula 141.406 mortes pelo novo coronavírus

Trump indica Amy Coney Barrett para Suprema Corte
internacional

Trump indica Amy Coney Barrett para Suprema Corte