O Brasil não suporta uma 2ª greve de caminhoneiros

Atender à pauta dos grevistas pode ter sido ruim para as contas públicas,mas não atendê-la seria pior

Inaldo SampaioInaldo Sampaio - Foto: Colunista

O presidente Michel Temer foi muito criticado por economistas por ter atendido 90% da pauta dos caminhoneiros. Esse “excesso de benevolência”, dizem os seus críticos, representará um rombo de 10 bilhões no Orçamento Geral da União, já que o governo se comprometeu a pagar à Petrobrás aquilo que ela deixará de faturar com a redução do preço do diesel até o final do ano. Todo mundo sabe que Temer é um governante fraco e cercado de vulnerabilidades por todos os lados. Mas para pôr fim a uma greve que causou transtornos à nação inteira, não lhe restava outro caminho senão atender à pauta dos grevistas. Simplesmente criticá-lo por ter cedido à pressão dos caminhoneiros é um falso debate. Pois ou o presidente faria isto ou corria o risco de ser derrubado pelo povo nas ruas. Lembre-se que quando ele apareceu na TV, domingo à noite, para anunciar o acordo com os grevistas, foi alvo de “panelaço” em várias cidades, imagine se o acordo não tivesse sido feito. Atender à pauta dos grevistas pode até ter sido ruim para as contas públicas, mas não atendê-la poderia ser pior. O fato é que o Brasil nunca tinha passado por uma greve dessa dimensão, que o privou de praticamente todos os tipos de serviços. Fica portanto comprovado que o país não suportará uma segunda greve de caminhoneiros. Os transtornos à população e os prejuízos causados à economia são muito altos para serem suportados

Retorno ameaçado
O simples fato de estar defendendo uma aliança do PT com a Frente Popular deixou o senador Humberto Costa fragilizado em seu partido, até para ser candidato a deputado federal. O seu caminho político está decidido: ou se candidata à reeleição na chapa do governador Paulo Câmara, ou não se candidata a nada. Tentar a Câmara Federal seria uma jogada de alto risco.

FICHA LIMPA > A greve dos caminhoneiros ofuscou totalmente o pré-lançamento da candidatura de Lula à sucessão de Temer, que se realizou domingo em algumas capitais. O PT sabe que ele não será candidato por causa da “Lei da Ficha Limpa”, mas se recusa a discutir o “plano b”.

VIVA ELA! > Com poucos candidatos à Câmara Federal e à Assembleia Legislativa, o PSDB-PE está feliz com candidatura de Alessandra Vieira a deputada estadual. Ela, que é casada com o prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Édson Vieira, acaba de receber o apoio do prefeito do Brejo Hilário Paulo (PSB).

ME AJUDE! > O prefeito de Águas Belas, Luiz Aroldo (PT), fez um apelo ontem ao Governo do Estado para disponibilizar escolta policial a fim de acompanhar o transporte de combustíveis de Suape até sua cidade, que está com os serviços básicos comprometidos. Ele obteve uma liminar na justiça, garantindo o fornecimento, mas o 3º BPM diz não ter pessoal para fazer a escolta.

PÉ NO SERTÃO > O empresário e candidato a deputado federal, Guilherme Uchoa Junior (PSC), acaba de colocar um pé no Sertão do Pajeú. Será apoiado em São José do Egito pelo exprefeito Romério Guimarães (PT), que era aliado político de Kaio Maniçoba (ex-MDB).

Veja também

Maestro Geraldo Menucci, primeiro regente da Banda Sinfônica do Recife, morre de Covid-19
Luto

Maestro Geraldo Menucci, primeiro regente da Banda Sinfônica do Recife, morre de Covid-19

Ministério Público denuncia homem preso por furto de bicicleta no Leblon
Crime

Ministério Público denuncia homem preso por furto de bicicleta no Leblon