Opinião

O Parque das Graças está sendo concluído

As obras referentes ao Parque das Graças estão sendo concluídas. Espera-se que nos primeiros meses de 2022 estejam completamente concluídas. A Prefeitura do Recife iniciou a implantação do Parque das Graças, às margens do Rio Capibaribe, entre as pontes da Torre e da Capunga, em março de 2021. O local tem conceito de parque linear com playground, área para ginástica, três áreas de convivência, parcão, local de piquenique, mirantes e refúgio da fauna.

A obra está dividida em quatro etapas e seis trechos e foi iniciada exatamente no dia do aniversário de Recife. O prefeito João Campos, presente nesse dia, afirmou de forma enfática: “O Recife completa 484 anos de muita história, de muitas lutas e conquistas. A gente passa, atualmente, pelo momento mais desafiador dessa história, no meio de uma pandemia, sendo preciso olhar para o futuro com esperança. Não podemos perder essa capacidade. Então a gente anuncia a construção do Parque das Graças, que vai ser o coração do Parque Capibaribe, numa cidade que nasceu do rio e que por muitas vezes deu as costas para ele. Agora chegou a vez de nos aproximarmos dele.”

A área verde começa na altura da rua Amélia, com uma solução viária que viabiliza a travessia de pedestres na descida da ponte da Torre, seguindo com um quilômetro de parque linear até a ponte da Capunga. O projeto é composto pela implantação de vias de baixa velocidade, compartilhada entre pedestres, ciclistas e veículos motorizados. Serão plantadas 200 novas árvores. Por sua vez, o Parque Capibaribe será um sistema de áreas integradas que se estenderá por 30 quilômetros do percurso do rio.

O projeto consiste na renaturalização das margens e na implantação de um sistema de mobilidade com passeios e ciclovias, além de revelar paisagens locais com áreas de estar, passarelas e píeres para pequenas embarcações. A proposta é beneficiar cerca de 5oo mil pessoas em 44 bairros. Portanto, um percentual alto da população da Cidade do Recife (cerca 1,5 milhão de habitantes).

A implantação do Parque da Graças cria possibilidade de um novo cooper para os frequentadores da “badalada” pista da Beira Rio, como falei num artigo anterior nesta mesma página. Agora poderão quebrar a monotonia de uma pista única para ir e voltar. Pode-se sair, por exemplo, na pista da Beira Rio dos pés da ponte da Capunga até aquela praça que a Prefeitura reservou para se fazer exercício (“praça dos gatos”), já na proximidade da ponte da Torre. Atravessando-se essa ponte está o Parque das Graças. A partir daí caminha-se na pista desse parque até a ponte da Capunga. Depois, atravessa-se essa ponte chegando-se ao início da pista da beira rio, no intervalo entre as duas pontes. Todo o percurso é de aproximadamente 2 quilômetros, portanto completamente “palatável”.

Outro artigo, sobre o Parque das Graças já foi publicado nesta mesma página, mas achei conveniente publicar esse outro, pois as obras de conclusão do equipamento estão muito adiantadas, criando-se assim um novo momento para a RMR. Novos fluxos, sobretudo de pedestres, ganharão enorme dimensão, principalmente os dirigidos em direção ao rio. Conclusão: depois da implantação definitiva do Parque das Graças, tanto as margens do rio pelo lado das Graças, como pelo lado da Madalena, sofrerão imensas modificações. O espaço de lazer em muito aumentará, tanto nas Graças como na Madalena.


*Economista



- Os artigos publicados nesta seção não refletem necessariamente a opinião do jornal. Os textos para este espaço devem ser enviados para o e-mail [email protected] e passam por uma curadoria para possível publicação. 

Veja também

Estudantes do primeiro ano do ensino médio realizam o SSA neste domingo (5)Vestibular

Estudantes do primeiro ano do ensino médio realizam o SSA neste domingo (5)

Pais de atirador em escola dos EUA se declaram inocentesTIROTEIO

Pais de atirador em escola dos EUA se declaram inocentes