O que confere na sabatina de Júlio Lóssio à Rádio Folha

Projeto de fact checking da Folha de Pernambuco verificou três declarações dadas pelo candidato ao Governo do Estado Júlio Lóssio durante a sabatina na Rádio Folha FM 96,7

Sabatina de Júlio Lóssio na Rádio Folha passa por checagem de fatosSabatina de Júlio Lóssio na Rádio Folha passa por checagem de fatos - Foto: Arte/Folha de Pernambuco

No segundo dia da sequência de sabatinas dos candidatos ao Governo do Estado, o quadro Folha Política, da Rádio Folha FM 96,7, recebeu na terça-feira (21) Júlio Lóssio, da Rede Sustentabilidade. O Folha Confere, projeto de fact checking da Folha de Pernambuco, verificou três declarações dadas pelo candidato durante a sabatina.

Leia também:
Veja a metodologia do projeto Folha Confere! 
O que confere na sabatina de Paulo Câmara à Rádio Folha

O objetivo é a produção dinâmica de checagens de fatos para suas plataformas durante a eleição. O trabalho tem como alvo conteúdos disseminados na internet ou pelo celular e o discurso de lideranças políticas, conferindo selos às declarações.

Confere - selo

1) "A lei permite que o Estado compre energia solar do pequeno produtor"

Em março de 2015, o Governo de Pernambuco credenciou a Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper) como comercializadora de energia no mercado livre e a associou à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). 

Com isso, criou alternativa para que parte da energia que abastece o Estado deixe de ser comprada da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e passe a ser da AD Diper. A iniciativa integra o programa PE Sustentável, que tem o objetivo de consolidar o Estado como gerador de energia limpa e polo produtivo de equipamentos, tecnologia e conhecimento no setor.

Confere - selo

2) "Deixei o município com o melhor IDEB das cidades médias de Pernambuco"

Em 2015, último ano da segunda gestão de Júlio Lóssio como prefeito de Petrolina, tanto as estatísticas relacionadas a anos iniciais (até o ensino fundamental) , quanto as de anos finais (ensino médio), o município sertanejo possui nota superior a de outras cidades médias pernambucanas que são, de acordo com o IBGE, as que têm até 100 mil habitantes.

Petrolina ficou com média 5,6 para anos iniciais, tendo Camaragibe como segundo lugar, com nota 4,7. Nos anos finais, a diferença é gritante. Petrolina tirou 5,0. Os municípios de Caruaru, Cabo de Santo Agostinho, Garanhuns e Olinda, dividem o título do segundo colocado, com nota 3,5. A medição do IDEB é realizada a cada 10 anos. A última foi, exatamente, a divulgada em 2015, que abrange os últimos dez anos e os últimos sete anos do governo Lóssio.

Confere - selo

3) "Nós chegamos a cifra, em 2017, de R$ 1 bilhão apenas com acidentes de motos"

Na terceira frase checada, a reportagem optou por uma declaração na área de saúde. De acordo com dados da Secretaria de Saúde de Pernambuco, os gastos com acidentes de motos no Estado foram de R$ 1,2 bilhão, em 2014; e de R$ 971 milhões, em 2015.

Não conseguimos informações sobre os gastos de saúde relativos aos anos de 2016 e 2017, mas estatísticas do Departamento Estadual de Trânsito registram um crescimento na quantidade de acidentados de 11%, em 2016, e 6%, em 2017 - o que impacta diretamente no valor investido pelo Governo do Estado na recuperação de acidentados. A afirmação do candidato é coerente com esse conjunto de dados. Por isso, adotamos o selo "Confere!".   

   Metodologia

A Folha de Pernambuco lança o seu projeto de fact-checking, o Folha Confere. O objetivo é a produção dinâmica de checagens de fatos para suas plataformas durante a eleição. O trabalho terá como alvo conteúdos disseminados na internet ou pelo celular e o discurso de lideranças políticas, conferindo selos às declarações conforme legendas abaixo. O objetivo é confrontar as versões dadas como oficiais com o trabalho jornalístico da reportagem, que levantará dados, datas, locais, pessoas envolvidas, fontes oficiais e especialistas.

O alvo das nossas checagens serão os debates da campanha eleitoral, guia eleitoral, os discursos nas agendas de campanha, correntes de WhatsApp, assuntos que viralizaram nas redes e as sugestões do leitor.

Todos os dias, nossa equipe de reportagem seleciona uma informação pública a partir de sua relevância em nossas reuniões de pauta e na cobertura diária de notícias. A partir da identificação do que será checado, nós consultamos a fonte original para checar sua veracidade. Também procuramos por fontes de origem confiável, consultamos fontes oficiais e alternativas. Em seguida, contextualizamos o que foi registrado e, por fim, classificamos a declaração em uma das quatro categorias estabelecidas pela nossa metodologia.

Etiquetas da nossa metodologia:

Confere! - a informação checada é verídica e comprovada por meio de dados, datas, fontes oficiais e especialistas.

Não Confere
- não é baseada em fatos verídicos, não é possível comprovar.

Não é por aí
- o conteúdo apresenta algum tipo de imprecisão. Pode ser parcialmente verdadeiro, exagerado, insustentável ou superestimado. Ou seja, exige esclarecimento ou contextualização maior.

De olho!
- ainda é cedo para confirmar a veracidade do conteúdo.

Veja também

União Europeia pede 'transparência' a empresas sobre atrasos de vacinas anticovid
Vacinas

União Europeia pede 'transparência' a empresas sobre atrasos de vacinas anticovid

Perfil conciliatório de Biden pode atrasar resposta à pandemia de Covid
EUA

Perfil conciliatório de Biden pode atrasar resposta à pandemia de Covid