Obesidade é fator de risco para pressão arterial

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde, a hipertensão arterial é hoje a principal causa de mortes no mundo, por estar associada ao desenvolvimento de diversas doenças, principalmente cardiovasculares

Obesidade é um dos fatores de risco da pressão alta, diz médico Rafael CoelhoObesidade é um dos fatores de risco da pressão alta, diz médico Rafael Coelho - Foto: divulgação

Olá, leitores e internautas que acompanham a coluna Saúde e Bem-Estar

A hipertensão arterial, conhecida como “pressão alta”, tem relação com a tensão no sangue durante a circulação. Artérias estreitas aumentam a necessidade do coração bombear com mais força para fazer o sangue circular. A hipertensão dilata o coração e danifica as artérias. É uma síndrome metabólica muitas vezes acompanhada por outras alterações, como obesidade e colesterol elevado. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), é hoje a principal causa de mortes no mundo, por estar associada ao desenvolvimento de diversas doenças, principalmente cardiovasculares. Para bombear sangue pelas artérias para o resto do corpo, o coração se contrai, criando uma pressão sobre as artérias, chamada pressão arterial sistólica. Seu valor normal é de 120 mmHg (milímetro de mercúrio). Em 140 mmHg ou mais é considerada hipertensão. A pressão diastólica, por sua vez, indica o repouso do coração entre uma batida e outra. O valor normal é de 80 ou menos. Acima de 90 é considerada hipertensão.

Sintomas: dores no peito, dor de cabeça, tonturas, zumbido no ouvido, fraqueza, visão embaçada, sangramento nasal

Fatores de risco: consumo excessivo de sal, tabagismo, sedentarismo, diabetes, obesidade, estresse, bebidas alcoólicas, falta de atividade física, sono inadequado.

A nossa população está ficando cada vez mais obesa ou acima do peso. Medidas simples como ter uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos diminuem o risco da pessoa ter problemas cardiovasculares por causa da pressão alta.

Segundo dados do Ministério da Saúde, nos últimos 10 anos, número de brasileiros obesos aumentou em 60% .A balança virou no Brasil: atualmente 5 em cada 10 brasileiros está obeso. Já metade da população está acima do peso. Nos últimos 10 anos, o índice da obesidade no Brasil aumentou em 60%, passando de 11,8% em 2006 para 18,9% em 2016. O excesso de peso também subiu de 42,6% para 53,8% no período. (Fonte: Ministério da Saúde).

Busque sempre a sua melhor versão. Siga-me nas redes sociais e fique sempre atualizado com informações sobre saúde e bem-estar. Obrigado e até o próximo encontro

*Rafael Coelho (CRM: 23943/PE) é médico. Pautas para Jademilson Silva – Jornalista - DRT: 3468 E-mail: [email protected]

PÍLULAS

Radioterapia é tema de encontro

Radioterapia é tema de encontro - Foto: divulgação

O Grupo Oncoclínicas Radioterapia Recife realiza o 2º Workshop sobre Análise de Risco em Radioterapia e o Sistema SEVRRA-BR. O evento é gratuito e acontece nos dias 26 e 27 de abril, na sede da clínica, em Boa Viagem. O workshop é destinado a radio-oncologistas, físicos médicos, dosimetristas, técnicos, tecnólogos e enfermeiros atuantes em Radioterapia. As inscrições estão abertas e podem ser feitas através do link: http://oncoclinicas.actonservice.com/acton/fs/blocks/showLandingPage/a/26348/p/p-003d/t/page/fm/0?sid=TV2:iiWwwET1q. Serão mais de 15 palestras, com assuntos variados, ministradas por profissionais de todo Brasil, incluindo a Dra. Tatiana Midori, física médica do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. O workshop conta com o apoio da Comissão Nacional de Energia Nuclear, uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

EM DIA COM VOCÊ

Abril marrom: mês de alerta contra a cegueira

Catarina Ventura

Catarina Ventura - Foto: divulgação

Abril é o mês da campanha sobre a importância da prevenção e combate às diversas causas de cegueira. Simbolizada pelo laço na cor marrom, seu objetivo é conscientizar a população e reduzir a incidência dos principais problemas de visão. As principais causas da cegueira que são possíveis de recuperar a visão: erros refrativos, catarata, opacidade da córnea, descolamento de retina (reversível se operado com urgência) e enxaqueca. Já as principais irreversíveis, destacam-se: glaucoma avançado, DMRI (Degeneração Macular Relacionada à Idade), retinopatia diabética avançada, deficiência de vitamina A (principalmente em crianças), neurite óptica (uma inflamação no nervo óptico, que leva as informações da retina para o cérebro) e ambliopia (popularmente conhecido como “olho preguiçoso”). A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 75% dos casos de cegueira no mundo são tratáveis. De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, estima-se que existam 37 milhões de cegos no mundo. E 82% das pessoas que vivem com a cegueira têm mais de 50 anos. 5 pontos de destaque para manter a saúde dos olhos em dia:

1. Mantenha seus exames de rotina em dia – visite frequentemente o oftalmologista, principalmente após os 40 anos.

2. Não fumar – O tabagismo está diretamente relacionado a muitos efeitos nocivos à saúde, incluindo a Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI).

3. Alimentação equilibrada – Uma deficiência de vitaminas e minerais pode prejudicar e muito a função da retina.

4. Use óculos de sol – Óculos escuros bloqueiam os raios ultravioletas. Pode retardar o desenvolvimento de catarata e proteger os olhos da luz solar direta.

5. Equipamentos de proteção – a cegueira pode ocorrer por conta de acidentes de trabalhos ou esportes que apresentam perigo aos olhos. Então óculos com vedação lateral previnem fatalidades.

Catarina Ventura é médica oftalmologista da Clínica de Olhos Fernando Ventura

**A Folha de Pernambuco não se responsabiliza pelo conteúdo da coluna

Veja também

Confira a previsão do tempo para este domingo (9) em Pernambuco
TEMPO

Confira a previsão do tempo para este domingo (9) em Pernambuco

Motoboy humilhado por morador de condomínio de luxo ganha moto de humorista
SÃO PAULO

Motoboy humilhado por morador de condomínio de luxo ganha moto de humorista