Obra danifica imóvel tombado em Olinda

Intervenção no sistema de abastecimento d'água no Sítio Histórico de Olinda comprometeu a mobilidade da rua e a fachada de uma residência

Imóvel danificado com a obraImóvel danificado com a obra - Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Moradores da rua Henrique Dias, localizada no bairro do Varadouro, em Olinda, denunciam os transtornos causados por uma obra da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), que teria um prazo de 10 dias para ser concluída. Além da interferência na mobilidade de quem precisa trafegar pela via, seja a pé ou de carro, uma das residências está com a fachada comprometida devido ao vazamento de um cano ocorrido durante à intervenção da companhia. O imóvel está localizado no Sítio Histórico e integra um patrimônio tombado de Olinda.

“Essa obra começou no dia 29 de novembro e deveria já ter terminado. Uma das casas atingidas, que também é uma galeria de artes, está com infiltrações e rachaduras. O acesso à casa tem que ser feito pelas portas dos fundos porque ninguém consegue abrir a porta da frente devido o nível de comprometimento da fachada”, explicou um dos moradores da rua que preferiu não ser identificado.

A fachada está sendo sustentada por vigas de madeira pois há risco de desabamento. Residindo no local há 20 anos, a estudante Maysa Caroline Ribeiro afirmou que eles foram pegos de surpresa com a obra e que após vários dias dos trabalhos já iniciados é que ficaram cientes de que o serviço visava melhorar a pressão da água nas residências e faz parte do projeto de abastecimento de água da Cidade Alta. “A água chegava, mas com pouca força. Só que antes da obra nós tínhamos água, agora ela chega só de madrugada. O fornecimento está prejudicado e não sabemos quando será normalizado, não somos informados”, declarou.

Leia também:
Recuperadas, duas bicas centenárias oferecem água limpa no Sítio Histórico de Olinda
Peças arqueológicas encontradas no Sítio Histórico durante obras serão expostas


Procurada pela reportagem, a Compesa informou que o serviço realizado no local é para a construção de uma caixa de proteção para equipamentos que serão instalados lá e que houve um abatimento no solo em frente à residência prejudicada. “A empresa contratada para a realização das obras de melhorias do abastecimento do bairro entregou à Prefeitura de Olinda, o estudo técnico com análise estrutural (verificação da estabilidade da edificação). A empresa está aguardando o parecer da prefeitura para o início da recuperação do imóvel”, esclareceu a nota. A Compesa também informou que a previsão é finalizar esses serviços na próxima semana.

No entanto, de acordo com a secretária executiva de Patrimônio Ana Claudia Fonseca, o Executivo já havia encaminhado no dia 5 de dezembro uma notificação a Compesa sobre a necessidade de um trabalho emergencial na fachada da casa que fica em frente à obra e que a empresa contratada teria que enviar uma solicitação de reparo. “O estudo foi entregue hoje (ontem), mas sabendo da urgência direcionamos de imediato o projeto para uma câmara técnica como prioridade. Recebemos o parecer e constatamos que nossa preocupação se concretizou: o projeto proposto pela empresa não é adequado para uma área histórica”, explicou.

O parecer, referente ao restauro do imóvel danificado, será enviado hoje para a empresa contratada pela Companhia de Abastecimento. A reestruturação precisa ser feita com materiais e técnicas tracionais, o que não foi proposto nesse estudo.

Veja também

Vogue vai publicar nova capa com Kamala Harris após avalanche de críticas
Polêmica

Vogue vai publicar nova capa com Kamala Harris após avalanche de críticas

Joe Biden e Kamala Harris homenageiam 400 mil vítimas da Covid-19 no país
Estados Unidos

Biden e Kamala homenageiam 400 mil vítimas da Covid-19