A-A+

Obras beneficiam um milhão de passageiros de ônibus no Recife

Com o recapeamento de 23 corredores do transporte coletivo, o tempo de viagem de 173 linhas será reduzido

Rua do Príncipe, Centro do RecifeRua do Príncipe, Centro do Recife - Foto: Lidiane Mota/Folha de Pernambuco

Mais de um milhão de pessoas que utilizam o transporte público no Recife serão beneficiadas com o programa de recapeamento lançado pela Prefeitura da Cidade. Ao todo, no primeiro semestre deste ano, 50 vias da Capital serão recuperadas. Dessas, 23 são corredores de transporte coletivo, onde circulam 173 linhas de ônibus.

O investimento será de R$ 30 milhões e atenderá as seis Regiões Político Administrativas (RPA) da cidade, buscando ajudar um pouco as pessoas no seu deslocamento.

As intervenções já tiveram início e entre os principais corredores de ônibus beneficiados estão a avenida Agamenon Magalhães, por onde passam 51 linhas, a avenida Norte, contemplada também por 51 linhas de ônibus, e a Caxangá, corredor atendido por 34 roteiros. Serão beneficiadas ainda outros importantes corredores como a rua do Príncipe, no Centro, e as avenidas Domingos Ferreira e Mascarenhas de Moraes, na Zona Sul.

Leia também:
Montagem de arquibancadas altera itinerários de 17 linhas de ônibus no Centro do Recife
Requalificação da av. Presidente Kennedy, em Olinda, altera itinerários de oito linhas de ônibus

Segundo a presidente da Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb), Marília Dantas, os benefícios diretos para usuários do transporte público são conforto, segurança, diminuição de acidentes e redução no tempo de viagem. "Sabemos que a partir do momento que não existem buracos nas vias não vai ter um impacto de carros parando. Então, naturalmente a redução do tempo de viagem é real. Não existe a paralisação desses ônibus por causa do nivelamento da pista", disse.

Quem conhece bem essa realidade é a gerente de recursos humanos Sheila Rodrigues, 40. Ela conta que diariamente convive com a lentidão nos coletivos por conta das ruas esburacadas. “A recuperação dessas vias é urgente e necessária. Após a conclusão certamente vamos ganhar mais algum tempinho na viagem", disse. O atendente de loja Almir Júnior, 20, concorda com a opinião de Sheila. "Essas obras vêm em boa hora, pois daqui a pouco chega o inverno e a situação piora, caso não seja feito algo antes", ressaltou.

Para uma melhor durabilidade da via, a Emlurb implementou desde 2013 uma série de medidas para aprimorar os serviços, como o Sistema de Gestão de Pavimentos (SGP), que foi implantado com o objetivo de trabalhar a programação de manutenção do pavimento por meio de técnicas específicas de conservação de vias. "Hoje temos um maior controle tecnológico do material asfáltico. Temos um laboratório que nos dá a garantia de que o pavimento aplicado é da qualidade que solicitamos nas licitações", declarou a presidente da Emlurb.

Marília Dantas explica que alguns critérios técnicos são levados em consideração na hora de escolher as vias que serão recuperadas, sempre com o objetivo de atingir o maior número de pessoas. "Primeiro é verificado o índice de condição de pavimento, ou seja, o grau de degradação da via. Depois disso é verificado se a via é um corredor de transporte coletivo ou não." Outro parâmetro é o acesso a equipamentos públicos, como unidades de saúde e escolas.

Veja também

SP desativa barreiras sanitárias no aeroporto e terminais de ônibus
Covid-19

SP desativa barreiras sanitárias no aeroporto e terminais de ônibus

Papa recebe premiê da França em plena tempestade na igreja no país
Encontro

Papa recebe premiê da França em plena tempestade na igreja no país