Obras dificultam trânsito em Jaboatão

No dia do aniversário de 425 anos da cidade, moradores de Jaboatão reclamam de intervenções nas vias que têm causado transtornos

Obras dificultam trânsito em JaboatãoObras dificultam trânsito em Jaboatão - Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

Nesta sexta-feira (4), o município de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife, completa 425 anos de emancipação política, mas por lá, os moradores não têm muito a comemorar. Principalmente, ao que se refere à mobilidade urbana: não precisa muito esforço para encontrar buracos nas vias da cidade. O estado físico de algumas avenidas importantes para o tráfego diário de veículos, a exemplo das avenidas Presidente Kennedy e Bernardo Vieira de Melo, exigem dos condutores um verdadeiro zigue-zague, como uma forma de poupar a suspensão dos veículos. E, segundo a população local, uma obra da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), no bairro de Candeias, tem causado transtorno.

Tal situação levou, inclusive, o prefeito de Jaboatão Anderson Ferreira a cobrar que o órgão estadual recupere, com materiais “decentes”, as principais vias do bairro. Embora compreenda que a obra de saneamento seja importante para o município, a empresa contratada pela Compesa não garantiu a durabilidade da pavimentação. E, com as recentes chuvas, as faixas de tráfego ficaram intransitáveis. “Jaboatão tem sido o município mais castigado pelas chuvas, com índices que ultrapassam os 240 milímetros, mas todo nosso trabalho de prevenção com a Operação Inverno não está surtindo efeito em Candeias. Isso se deve à má execução feita pela empresa, que tem a obrigação legal de entregar as vias da mesma forma que antes das obras de saneamento”, criticou o gestor, por meio de nota.

Leia também:
Jaboatão estuda barreira subaquática para conter o mar


Além do excesso de buracos em Jaboatão, as obras também vêm causando alagamentos e lamaçais nas principais avenidas devido à obstrução das galerias e canaletas. O designer gráfico Breno Oliveira, 24 anos, afirma que o desgaste no asfalto é ainda pior para quem anda de moto. “Quem pilota, fica muito vulnerável. Vendo essa situação crítica (na Presidente Kennedy), a atenção deve ser redobrada. Porque mesmo que você desvie do buraco, a chance de bater em um carro é grande”, avaliou. O estudante Pedro Henrique Fonseca, 20, contou que já sofreu uma queda da bicicleta por conta da lama na via. “Se aqui já era ruim, ficou pior. Eu tenho que andar pela calçada para não levar outra queda no meio dessa lama preta”, disse.

Na avenida Bernardo Vieira de Melo, a situação é mesma. Quando não chove, quem vive às margens do corredor sofre com a poeira. José Antônio da Silva, 50, tem uma floricultura e sabe muito bem como é conviver com esse drama diário. “Quando não chove aqui em Jaboatão, essa poeira misturada de areia e pó de brita vem toda para os meus olhos e nariz quando os carros passam. Quem não tem alergia, acaba tendo. Fazem um recapeamento fajuto e uma chuvinha faz os buracos reaparecerem”, disparou.

Procurada, a Compesa afirmou que as obras de expansão do sistema de esgotamento em Jaboatão estão de acordo com o planejado. No entanto, a companhia garantiu que “qualquer problema que seja identificado será ajustado/refeito”. Já sobre a avenida Bernardo Vieira de Melo, a Compesa acrescentou que os trabalhos já estão 90% concluídos e que, se não chover nas próximas 48h, os serviços deverão ser concluídos em no máximo uma semana.

Veja também

Rede estadual retoma aulas presenciais nesta segunda-feira

Rede estadual retoma aulas presenciais nesta segunda-feira

Profissionais de saúde do Recife que já receberam segunda dose devem voltar aos trabalhos
Vacinação

Profissionais de saúde do Recife que já receberam segunda dose devem voltar aos trabalhos