Questão ucraniana

Ocidente alerta Rússia para 'graves consequências' em caso de agressão contra a Ucrânia

Os líderes ocidentais expressaram "grande preocupação" com a concentração de tropas russas na fronteira oriental da Ucrânia

Putin e BidenPutin e Biden - Foto: ANGELA WEISS, ALEXEY DRUZHININ / AFP

Dirigentes dos Estados Unidos e vários países europeus, entre eles a Alemanha, afirmaram seu apoio "sem reserva" à integridade territorial da Ucrânia e alertaram a Rússia para "graves consequências" em caso de invasão daquele país, anunciou o governo alemão nesta segunda-feira (24).

Os participantes "coincidiram em que a Rússia deve empreender iniciativas visíveis de desescalada" neste conflito, informou o porta-voz do chanceler alemão, Olaf Scholz, após uma videoconferência da qual participou com dirigentes de Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Itália e Polônia.

A realização desta videoconferência havia sido anunciada um pouco mais cedo pela Casa Branca, quando algumas divergências pareciam surgir no campo ocidental sobre a atitude a adotar em relação à Rússia.

Isso diz respeito especialmente à Alemanha, que é fortemente criticada pela Ucrânia por sua recusa em fornecer armas, mesmo defensivas, como fazem os Estados Unidos, a Grã-Bretanha ou os países bálticos.

Da mesma forma, os países da União Europeia ainda não decretaram a saída de parte de seu pessoal diplomático da Ucrânia, num momento em que os Estados Unidos e o Reino Unido já se movimentaram nesse sentido.

Na videoconferência, da qual também participou o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, os líderes ocidentais expressaram "grande preocupação" com a concentração de tropas russas na fronteira oriental da Ucrânia e acusaram a Rússia de causar as "tensões atuais", segundo o comunicado alemão.

Mas consideraram que "a questão da segurança e estabilidade na Europa poderia ser resolvida por meio de negociação".

Os líderes ocidentais também "reiteraram que estão dispostos a continuar os esforços diplomáticos nessa direção", que começaram em janeiro com várias reuniões entre autoridades ocidentais e russas, sem sucesso até agora.

Veja também

Fiocruz critica PL do Aborto: "Retrocesso e ameaça à saúde de mulheres e meninas"
POSICIONAMENTO

Fiocruz critica PL do Aborto: "Retrocesso e ameaça à saúde de mulheres e meninas"

Exército de Israel diz que Hamas não pode ser destruído e expõe divergências com Netanyahu
GUERRA

Exército de Israel diz que Hamas não pode ser destruído e expõe divergências com Netanyahu

Newsletter