Ataque

Oito estudantes e um segurança morrem baleados em escola na Sérvia

autoridades identificaram o suposto atirador como Kosta Kecmanovic, um estudante de 13 anos

A polícia sérvia prendeu um estudante após um tiroteio em uma escola primária na capital Belgrado.A polícia sérvia prendeu um estudante após um tiroteio em uma escola primária na capital Belgrado. - Foto: Oliver Bunic/AFP

Oito estudantes e um segurança de uma escola de Belgrado foram mortos a tiros nesta quarta-feira (3) - e outros seis estudantes e uma professora ficaram feridos - por um aluno que foi detido, informaram as autoridades da Sérvia.

"Oito crianças e um segurança morreram, enquanto seis crianças e uma professora ficaram feridos e foram hospitalizados", afirmou, em nota, o Ministério do Interior do país balcânico.

Entre os menores que foram mortos estão sete meninas e um menino, nascidos em 2009, 2010 e 2011, informou o chefe da polícia de Belgrado, Veselin Milic, em coletiva de imprensa.

As autoridades identificaram o suposto atirador como Kosta Kecmanovic, um estudante de 13 anos, detido no pátio da escola como "suspeito de ter atirado várias vezes contra alunos e um segurança da escola com uma arma pertencente a seu pai".

Segundo Milic, o suspeito chegou à escola com um revólver 9 milímetros, outro de menor calibre e quatro coquetéis Molotov em sua mochila.

O adolescente abriu fogo ao entrar na escola, matando primeiro o segurança e três estudantes que estavam nos corredores, antes de entrar em uma "aula de história".

"Tão rápido quanto entrou pela porta, atirou na professora e nos outros alunos", disse Milic.

Astrid Merlini, cuja filha estava na escola, afirmou que os professores rapidamente esconderam as crianças.

O presidente do município de Vracar, Milan Nedeljkovic, já havia declarado que o segurança foi a primeira vítima porque "tentou evitar a tragédia", colocando-se "na frente do jovem que estava atirando", acrescentou em declarações divulgadas pela televisão estatal, RTS.

"Filme de terror"

A polícia foi avisada primeiro pelo subdiretor da escola, mas dois minutos depois o próprio agressor a chamou. "Disse que atirou em várias pessoas na escola de ensino fundamental", assegurou Milic.

Afirmou também que o suspeito "planejou o ataque a tiros durante um mês e fez uma lista das crianças que planejava matar".

"Parece um videogame ou um filme de terror, o que indica que planejou detalhadamente, por salas, a quem atingir", acrescentou Milic.

O ministro do Interior, Bratislav Gasic, disse que o pai do suspeito, proprietário das armas utilizadas, também estava sob custódia.

"O pai afirma que as armas estavam guardadas em um cofre com código, mas pelo que parece o menino conhecia a senha, já que conseguiu pegar as pistolas e três carregadores com 15 balas cada um", disse Gasic.

O ministro de Educação, Branko Ruzic, qualificou o ataque como a "maior tragédia" ocorrida no sistema escolar sérvio e anunciou três dias de luto e que, na quinta-feira, um minuto de silêncio será observado em todas as escolas.

Escolas de Belgrado fechadas

As autoridades não forneceram nenhuma informação adicional sobre o suposto atirador e negaram informações veiculadas pela imprensa de que um assédio escolar (bullying) seria um possível motivo para o ataque.

Milika Asanin, diretora do principal hospital de Belgrado, afirmou que vários feridos estavam sendo operados.

"Um estudante se encontra em estado grave, com ferimentos de bala no peito e no pescoço, e outro estudante foi ferido na parte inferior da perna", declarou Asanin ao canal de notícias RTS.

"Uma estudante foi ferida no estômago e nos dois braços, enquanto a professora foi ferida no estômago e nas duas mãos", acrescentou.

Todas as escolas de Belgrado foram fechadas após o ataque.

Este tipo de violência armada é extremamente raro na Sérvia, país que exige uma autorização especial para a compra de armas de fogo.

Veja também

UTIs vão reforçar hospitais de campanha no Rio Grande do Sul
Rio Grande do Sul

UTIs vão reforçar hospitais de campanha no Rio Grande do Sul

Eletrobras: trabalhadores poderão entrar em greve a partir de 3 de junho
Eletrobras

Eletrobras: trabalhadores poderão entrar em greve a partir de 3 de junho

Newsletter