A-A+

Vacinação

Olinda inclui trabalhadores a partir de 18 anos contra Covid-19, e Recife faz Dia D contra a gripe

Fundamentais para a redução dos internamentos por infecções respiratórias, campanhas de vacinação avançam na Região Metropolitana.

Unidade móvel da prefeitura passa por Nova Descoberta para vacinação contra a gripeUnidade móvel da prefeitura passa por Nova Descoberta para vacinação contra a gripe - Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Fundamentais para a redução dos internamentos por infecções respiratórias, as campanhas de vacinação contra o novo coronavírus, o Sars-Cov-2, e o vírus da gripe continuam avançando na Região Metropolitana do Recife (RMR).

Nesta sexta-feira (23), em Olinda, foi aberto o agendamento para todos os trabalhadores de bancos e indústrias a partir de 18 anos. Na capital, o Dia D da vacinação contra o Influenza está marcado para esse sábado (24), tendo como público-alvo pessoas com comorbidades e idosos com 60 anos ou mais.

Trabalhadores a partir de 18 anos
Em Olinda, todos os trabalhadores de indústrias, bancos e dos Correios estão aptos a procurar um dos 13 postos municipais de vacinação contra a Covid-19, além do público geral a partir de 33 anos. O agendamento já está disponível no site da prefeitura e o novo público começa a se imunizar nesse sábado.

Além dos pontos de vacinação, o município conta com o Expresso Vacina Olinda, projeto em parceria com a empresa Conorte que leva um ônibus adaptado pelos bairros da cidade para que as pessoas recebam suas doses mais perto de casa. O veículo passa sempre por uma comunidade toda terça e quinta-feira, das 8h30 às 16h.

Dia D contra a gripe
No Recife, o Dia D da vacinação contra o Influeza, um dos vírus da gripe comum, será realizado nesse sábado. Para facilitar o processo de proteção coletiva da doença, uma unidade móvel circula pelas comunidades.

Nesta sexta, o projeto itinerante passa pelo Mercado Público de Nova Descoberta, onde fica até 16h. Já no sábado, os atendimentos serão levados aos mercados de Água Fria, Encruzilhada, São José e Cordeiro.

A comerciante Terezinha Pinheiro, 66 anos, que trabalha no Mercado de Nova Descoberta aproveitou a visita da unidade móvel e garantiu a própria dose.

"Já estou imunizada contra a Covid-19 e agora estou tomando a da gripe, que eu tomo todo ano, graças a Deus. Isso é para o nosso próprio bem", diz. "Eu não sei mais nem o que é gripe. Chupo picolé, tomo uma cervejinha de vez em quando, e não tenho nada".

Mas nem todo mundo pode tomar a vacina contra a gripe. Quem só tomou a primeira dose contra a Covid-19 ou recebeu a segunda há menos de 15 dias precisa esperar mais um pouco. Foi o caso da dona de casa Cleonice Souza, 60.

"Faltam só 11 dias para eu tomar minha segunda dose contra a Covid. Então, só vou voltar para me proteger da gripe depois que completar a vacinação do coronavírus", conta.

Veja também

Vereador que tentou desobrigar uso de máscara morre de Covid-19 aos 34 anos

Vereador que tentou desobrigar uso de máscara morre de Covid-19 aos 34 anos

Turistas atacam funcionária de restaurante que pediu comprovante de vacinação em Nova York
Coronavírus

Turistas atacam funcionária de restaurante que pediu comprovante de vacinação em Nova York