Olinda oferece atendimento psicológico gratuito por telefone

Os atendimentos serão realizados de segunda a sexta-feira, das 8h as 17h

Iniciativa tem como objetivo facilitar a coleta de dados para a realização do PNADIniciativa tem como objetivo facilitar a coleta de dados para a realização do PNAD - Foto: Divulgação

Por causa do distanciamento social, provocado pela pandemia do novo coronavírus, as pessoas têm vivido sintomas de ansiedade, mudanças comportamentais e psicológicas. Diante desse cenário, a Secretaria de Saúde de Olinda disponibilizou um serviço gratuito de assistência à saúde mental por telefone para os moradores do município. Os atendimentos tiveram início nesta terça-feira (14) e seguirão funcionando de segunda a sexta-feira, das 8h as 17h.

O objetivo do serviço é prestar apoio e reduzir a necessidade de deslocamento, evitando possíveis aglomerações em ambientes fechados. Qualquer pessoa, inclusive profissionais da área de saúde, que manifeste sintomas de ansiedade, medo, depressão e até transtornos obsessivo-compulsivos (TOC) pode contar com o acolhimento em saúde mental por teleatendimento. Os atendimentos podem ser adquiridos através de oito números.

Leia também:
Coronavírus: Jaboatão oferece atendimento psicológico online gratuito
Covid-19: Paulista inicia construção de hospital de campanha com 60 leitos


Está à disposição dos moradores uma equipe multidisciplinar: médicos, enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais que vão trabalhar na avaliação médica, orientação e prevenção de diagnósticos em casos que possam evoluir para algum trauma ocasionado neste período de isolamento social.

Os números do teleatendimento são:

Público em geral - (81) 99207-3447 / 99219-1816 / 99250-3144 / 99138-7841 / 99203-8909 / 99258-6660 / 99219-6385 / 99256-2408

Profissionais de saúde
- (81)  99167-1061 e 99189-7413

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Agências americanas recomendam "pausa" no uso da vacina da Johnson por temor de coágulos
Vacinação

Agências americanas recomendam "pausa" no uso da vacina da Johnson por temor de coágulos

Babá volta atrás e confirma à polícia agressões de Dr. Jairinho ao menino Henry
Violência

Babá volta atrás e confirma à polícia agressões de Dr. Jairinho ao menino Henry