A-A+

OMS considera improdutivo fechar fronteiras pelo coronavírus

Os países estão cada vez mais preocupados com o vírus

CoronavírusCoronavírus - Foto: Hector Retamal/AFP

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou nesta sexta-feira (31) que o fechamento das fronteiras com a China, onde surgiu um novo coronavírus, seria improdutivo e poderia incentivar as pessoas a viajarem ilegalmente - o que favoreceria a propagação da epidemia.

"Foi dito e reiterado claramente que a Organização Mundial da Saúde não recomenda restrições de viagens e comércio", afirmou um porta-voz da agência, Christian Lindmeier, em uma coletiva de imprensa em Genebra. "Como outras situações mostraram, como o Ebola, especialmente quando as pessoas querem viajar, elas fazem isso. E, se as fronteiras oficiais não estiverem abertas, elas encontrarão outros pontos de passagem informais", afirmou.

Leia também:
Novo coronavírus pode não ser tão letal mas se espalha mais facilmente
OMS declara emergência internacional devido ao novo coronavírus


Os países estão cada vez mais preocupados com o vírus. Desde seu surgimento no final de dezembro, o novo coronavírus deixou 213 mortos na China. Rússia, Singapura e Mongólia anunciaram o fechamento de suas fronteiras para viajantes do gigante asiático, com o objetivo de tentar limitar a propagação da epidemia de pneumonia viral.

Lindmeier destacou, porém: "a única maneira de controlar quem passa pelas fronteiras e monitorar se apresentam sintomas de infecção é fazê-los passar por pontos de passagem oficiais".

O número de pacientes infectados é próximo a 10 mil na China continental, quantidade superior à provocada pela epidemia da Síndrome Respiratória Aguda Severa (SARS) em 2002-2003. Embora a grande maioria dos casos tenha sido detectada na China, uma centena deles também foi declarada em cerca de 20 países.

A OMS e a China concordaram em enviar uma missão internacional de especialistas, mas seus detalhes são desconhecidos, informou a organização nesta sexta-feira.

Veja também

Alemães e britânicos priorizam proteger economia a combater Covid-19, diz pesquisa
Pandemia

Alemães e britânicos priorizam proteger economia a combater Covid-19, diz pesquisa

Agressor matou vítimas com "objeto pontiagudo" e não com flechas, afirma polícia da Noruega
Noruega

Agressor matou vítimas com "objeto pontiagudo" e não com flechas, afirma polícia da Noruega