OMS defende parceria com China, e Europa repassa 500 milhões de euros

Enquanto o presidente americano ameaçou cortar recursos para a entidade da ONU, a União Europeia divulgou um plano de emergência

CoronavírusCoronavírus - Foto: MICHELE CATTANI / AFP

Bruce Aylward, principal conselheiro da direção-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), rebateu nesta quarta (8) a afirmação do presidente dos EUA, Donald Trump, de que a entidade gira em torno da China.

"A China é um parceiro fundamental para entender a seriedade da doença e como se dá o contágio, para poder conter a pandemia em outros países", afirmou o conselheiro.
Segundo ele, acompanhar os impactos das medidas adotadas pelo governo chinês também é crucial para entender o que funciona e deve ser replicado por outras nações.

Leia também:
Trump acusa OMS de não ter reagido ao coronavírus e ameaça cortar fundos
OMS mantém indicação de máscaras apenas para profissionais da saúde e infectados
África não será campo de testes para vacina contra coronavírus, diz diretor da OMS


Enquanto o presidente americano ameaçou cortar recursos para a entidade da ONU, a União Europeia divulgou um plano de emergência que prevê 500 milhões de euros (R$ 2,9 bilhões) para programas da OMS, entre outros.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

China usa teste anal com cotonete para detectar Covid-19 e diz que técnica é mais precisa
Testagem

China usa teste anal com cotonete para detectar Covid-19 e diz que técnica é mais precisa

Juros para famílias caem ao menor nível histórico em 2020, diz BC
Economia

Juros para famílias caem ao menor nível histórico em 2020, diz BC