Epidemia

OMS diz que Moçambique sofre a pior epidemia de cólera dos últimos 10 anos; entenda a doença

País já conta com quase 100 mortos e 21 mil casos pela enfermidade; passagem do ciclone Freddy dificultou acesso à água potável

Foto: Divulgação

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou esta semana que Moçambique sofre a pior epidemia de cólera em uma década com quase 100 mortos após a passagem do ciclone Freddy que destruiu mais de 132 mil casas e deixou 184 mil desabrigados no país.

A tempestade passou na região do sul da África duas vezes em poucas semanas.

"As epidemias de cólera são comuns em Moçambique entre outubro e abril, mas com cerca de 21.000 casos e 95 mortos, esta é a maior epidemia em uma década", informou o representante da OMS para Moçambique, o médico Severin Ritter von Xylander, por videoconferência transmitida de Maputo para os jornalistas em Genebra.

Xylander disse ainda que a epidemia continua se espalhando geograficamente e destacou que o surto já atingiu cinco novos distritos. As inundações causadas pelo ciclone, segundo o médico "estão diminuindo, mas o acesso à água potável e à rede de saneamento continua difícil".

Cólera

Segundo informações do Ministério da saúde, a cólera é uma doença bacteriana infecciosa intestinal aguda, transmitida por contaminação fecal-oral direta ou pela ingestão de água ou alimentos contaminados.

Em casos mais leves, pode ser apresentado uma forma de diarreia ou ser assintomático, porém, em casos graves, pode desenvolver uma diarreia aquosa e profusa, com ou sem vômitos, dor abdominal e cãibras. Quando não tratada prontamente, pode ocorrer desidratação intensa, levando a graves complicações e até mesmo ao óbito.

A doença está ligada diretamente ao saneamento básico e à higiene.

O período de incubação da bactéria varia de algumas horas a 5 dias da infecção. Porém, o seu período de transmissibilidade é um pouco maior, pois perdura até o paciente eliminar todas as bactérias presentes nas fezes. Para fins de vigilância, o período aceito como padrão é de 20 dias.

Fatores de risco:

-Condições precárias de saneamento básico;

-Consumo de água sem tratamento adequado;

-Condições precárias de higiene pessoal;

-Consumo de alimentos sem higienização ou manipulação adequadas;

-Consumo de peixes e mariscos crus ou mal cozidos.

Veja também

Justiça da Colômbia acusa ex-presidente Uribe de suborno e fraude
america latina

Justiça da Colômbia acusa ex-presidente Uribe de suborno e fraude

Educação midiática é essencial para combater a desinformação
tecnologia

Educação midiática é essencial para combater a desinformação

Newsletter