Coronavírus

OMS recomenda dois novos tratamentos contra a Covid-19

Mesmo indicando alguns medicamentos, a organização ainda afirma que eles não são destinados a qualquer paciente

OMSOMS - Foto: FABRICE COFFRINI / AFP

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou oficialmente dois novos tratamentos contra a Covid-19 em casos muito específicos, elevando o total destes fármacos a cinco.

Em um relatório que será publicado na sexta-feira na revista médica The BMJ, os especialistas da OMS recomendam um tratamento à base de anticorpos sintéticos, o sotrovimab, e um medicamento em geral usado contra a poliartrite reumatoide, o baricitinib.

Mas estes medicamentos não são destinados a qualquer paciente.

O sotrovimab é recomendado para pacientes que contraíram Covid-19 sem gravidade, mas com alto risco de hospitalização. Seu benefício para pacientes que não correm este risco é muito baixo.

Quanto ao baricitinib, é recomendado para "pacientes acometidos de Covid grave ou crítica" e o medicamento deve ser administrado "combinado com corticoides".

Nestes pacientes, sua ingestão "melhora a taxa de sobrevivência e reduz a necessidade de se submeter à ventilação mecânica".

Até agora, a OMS recomendava três tratamentos: os anticorpos sintéticos, vendidos com o nome "Ronapreve", desde setembro de 2021; um tipo de medicamentos chamados "antagonistas da interleucina 6" (tocilizumab e sarilumab), desde julho de 2021; e os corticoides sistemáticos para pacientes graves, desde setembro de 2020.

O sotrovimab trata o mesmo tipo de pacientes do Ronapreve. "Sua eficácia contra novas variantes, como a ômicron, ainda é incerta", afirmaram os especialistas da OMS.

O baricitinib "tem os mesmos efeitos" dos antagonistas da interleucina 6 e deve ser administrado ao mesmo tipo de paciente.

"Quando ambos estão disponíveis", é preciso escolher qual dos dois usar "em função do custo, da disponibilidade e da experiência dos profissionais sanitários", afirmaram os especialistas da OMS.

O baricitinib pertence a uma família de medicamentos chamada "inibidores da quinase Janus" e é usado contra a poliartrite reumatoide, uma doença autoimune.

No entanto, os outros medicamentos desta família (ruxolitinib e tofacitinib) não devem ser usados contra a Covid, consideraram os especialistas, por falta de dados sobre sua eficácia ou sobre seus efeitos colaterais.

A OMS costuma atualizar regularmente suas recomendações de tratamento contra a Covid, baseando-se em ensaios clínicos realizados com diferentes tipos de pacientes.

Contudo, o arsenal terapêutico não deixa de ser reduzido. Nos últimos meses, a OMS rejeitou o uso de vários tratamentos: a injeção de plasma de pacientes curados da Covid-19, a ivermectina e a hidroxicloroquina.

Veja também

Mãe que foi resgatada de enxurrada com as filhas agradece jovem que as tirou de carro
rio de janeiro

Mãe que foi resgatada de enxurrada com as filhas agradece jovem que as tirou de carro

Saúde pública: UPAE em Carpina agora oferece atendimentos em ginecologia e exames de endoscopia
SAÚDE

Saúde pública: UPAE em Carpina agora oferece atendimentos em ginecologia e exames de endoscopia