Ônibus da Região Metropolitana com mais respeito

A Campanha "E Se Fosse Você?" capacita motoristas de ônibus da Região Metropolitana do Recife para auxiliar a pessoa idosa e com deficiência no momento do embarque e desembarque dos coletivos

Motoristas de ônibus recebem capacitação para auxiliar pessoas idosas e deficientesMotoristas de ônibus recebem capacitação para auxiliar pessoas idosas e deficientes - Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco/Arquivo

Motoristas de ônibus do Recife e Região Metropolitana recebem durante toda esta terça-feira (11) capacitação para auxiliar a pessoa idosa e com deficiência no momento do embarque e desembarque dos coletivos.

A iniciativa faz parte da campanha “E Se Fosse Você?” que há quatro anos sensibiliza a população para os direitos da pessoa idosa e da pessoa com deficiência no transporte público. O treinamento está sendo realizado pelo Grande Recife Consórcio de Transporte e acontece no Sest/Senat localizado na Av. Beberibe, Zona Norte do Recife, para 440 profissionais da empresa de transporte Caxangá.

Leia também:
Passageiros criam grupos de WhatsApp para trocar informações sobre ônibus
Olinda terá ar-condicionado em ônibus; testes começam em 15 dias
Ônibus devem ter ar-condicionado até 2023 e passagens podem ficar mais caras


Além de receber orientações sobre como auxiliar a pessoa idosa ou com deficiência no momento do embarque e desembarque, os profissionais são sensibilizados quanto a empatia e respeito que devem ter com os usuário do transporte ao longo de toda a viagem.

“Com essa ação, estamos capacitando 10% do pessoal de operação do transporte público do Recife e RMR com o objetivo de sensibilizar e estimular o comportamento gentil desses profissionais. Durante as atividade, convidaremos os motoristas a subirem nos ônibus utilizando muletas, cadeira de rodas, óculos embaçados, caneleira de peso e protetor auricular. O objetivo é estimular o respeito e o cuidado deles com a pessoa idosa e a pessoa com deficiência, segmentos que têm prioridade no transporte público”, afirma o gerente de relacionamento do Grande Recife, Marcus Petrônio Iglesias.

Ainda de acordo com ele, a cada dez reclamações enviadas ao consórcio, sete são sobre comportamento dos motoristas com os usuários do transporte coletivo. “A longo prazo, pretendemos oferecer esse treinamento a todas as empresas de ônibus para que tenhamos um transporte público mais humanizado”.

A capacitação, que tem o apoio da Superintendência Estadual de Apoio à Pessoa com Deficiência (SEAD) e do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros (Urbana-PE) tem a duração de uma hora e meia e está sendo realizada de manhã para trabalhadores que trabalham no turno da tarde, e à tarde para os que trabalham pela manhã.

“A capacitação é exclusiva para os motoristas porque é uma forma de agirmos diretamente com aquele profissional que está na linha de frente do transporte de passageiros e com quem o usuário tem contato ao subir e descer do ônibus diariamente”, afirmou Iglesias.

“Esperamos ter um resultado positivo neste primeiro momento, já que a empresa Caxangá atua com 53 linhas de ônibus, entre convencionais e bacuraus, que circulam pelas cidades de Olinda e Recife”, concluiu.

O motorista da empresa Caxangá que faz a linha Xambá/Encruzilhada, Dangelo Cordeiro, que atua na profissão há seis anos participo das ações desta manhã e falou sobre a importância do treinamento. “Essa capacitação é de grande importância para que os motoristas possam perceber a real situação e dificuldades de um deficiente. Isso nos possibilita tratar da melhor forma e com mais segurança os passageiros”.

Os usuários que passarem por situações de desrespeito nos coletivos podem entrar em contato com a Central de Atendimento ao Cliente (0800 081 0158) ou pelo WhatsApp (99488.3999), exclusivo para reclamações.

Veja também

Hospital Veterinário do Recife abre seleção para estágio obrigatório
Folha Pet

Hospital Veterinário do Recife abre seleção para estágio obrigatório

Cartilha explica leis trabalhistas do Brasil para imigrantes
INFORMATIVO

Cartilha explica leis trabalhistas do Brasil para imigrantes