Ônibus: meia-tarifa só com VEM

Benefício deixará de ser concedido a quem paga em dinheiro. Medida pode começar no próximo dia 15

7º Congresso do PT terá como tema "Lula Livre"7º Congresso do PT terá como tema "Lula Livre" - Foto: Divulgação / PT-PE

 

A meia-tarifa aos domin­­­gos, atualmente pa­­ga em dinheiro ou com bilhete eletrônico, está prestes a mudar. Ainda neste mês, só terá direito ao descon­­­to de 50% na passagem de ônibus quem usa o Vale Eletrô­­­nico Metropolitano (VEM) dos tipos Comum ou Especial, que são similares. Quem paga em dinheiro - 65% dos 725 mil passageiros que recorrem ao transporte no primeiro dia da semana - passa a ter que ar­­car com a tarifa cheia - R$ 2,80, no Anel A, ou R$ 3,85, no B.

Conforme o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Urbana-PE), a medida deve entrar em vigor no próximo dia 15. O Grande Recife Consórcio de Transpor­­­te (GRCT), gestor do sistema, porém, ainda não confirma a data e garante que a iniciativa será amplamente anunciada aos passageiros antes de começar a valer.

A nova regra foi estabelecida pela Resolução 014/2016, do Conselho Superior de Trans­­porte Metropolitano (CSTM), em setembro do ano passado. O texto determinava que, a partir dali, quem utilizasse o VEM Comum também seria contemplado pela meia-passagem no primeiro dia da semana.

Antes, o cartão tinha a tarifa descontada por inteiro no validador das ca­­tracas dos coletivos, o que gerava reclamações de passa­­­geiros e chegou a pautar uma audiência na Câmara Munici­­­pal do Recife. A mesma resolu­­­ção do CSTM, entretanto, determinou que, em 120 dias, o desconto de 50% não seria mais concedido para o pagamento em espécie. Nesse período de transição, que está ter­­minando agora em janeiro, os passageiros poderiam adquirir o VEM Comum em terminais integrados ou no pos­­to da Urbana-PE (ver arte) pa­­­ra não perder o benefício.

Dinheiro garantia o benefício desde 2004, quando a meia-tarifa entrou em vigor. A avaliação do setor, contudo, é de que, naquela época, a bilhetagem eletrônica não tinha a força de hoje. Além disso, a medida também é uma forma de reduzir a circulação de cédulas dentro dos ônibus e pre­­venir assaltos, conforme disse o presidente da Urbana-PE, Fernando Bandeira, em entrevista, ontem, à Rádio Folha FM 96,7. “É para incen­­tivar o uso do cartão, tirar o dinheiro a bordo e ter mais segurança. Você compra o VEM Comum em terminais, com tranquilidade e tem o desconto garantido”, afirmou.

Apesar de elogiar o estímulo ao bilhete eletrônico, parte dos usuários critica a retirada de uma opção de pagamento da passagem. “É preciso fazer mudanças, como tirar o limi­­te para o que é abastecido no VEM e aumentar os pontos de recarga”, opinou o passageiro Ednilson Mendonça, 54.

O GRCT esclareceu, entre outros pontos, que, com a medida, “linhas que operam sem cobrador passarão a contar com o benefício da meia-passagem aos domingos”.

 

Veja também

Com crise em Manaus, governo recua e volta a isentar imposto sobre cilindro de oxigênio
Tributos

Com crise em Manaus, governo recua e volta a isentar imposto sobre cilindro de oxigênio

Covid-19: Saúde recruta 2,5 mil profissionais para atuar em Manaus
Pandemia

Covid-19: Saúde recruta 2,5 mil profissionais para atuar em Manaus