Coronavírus

Opas alerta para alta nos casos de covid nas Américas, puxada pelos EUA

A Opas também ressaltou que as hospitalizações por covid-19 cresceram em 18 países americanos

Coronavírus no Brasil Coronavírus no Brasil  - Foto: Fernando Frazão / Agência Brasil

Os casos de covid-19 estão em alta nas Américas, onde as infecções cresceram 27,2% na semana passada, impulsionados pelos casos nos Estados Unidos, alertou nesta quarta-feira (18) a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

Dos 918 mil casos novos registrados na região na semana finalizada em 14 de maio, mais de 605 mil correspondem aos Estados Unidos. Segundo a Opas, os contágios subiram na América do Norte nas últimas sete semanas.

As quatro sub-regiões do continente informaram esta semana aumentos de infecções, com a maior alta na América Central (+80%).

Na América do Sul, o Brasil notificou mais de 120 mil casos novos (+9%), enquanto a Argentina teve quase 34 mil (+92%). Venezuela, Paraguai e Brasil indicaram também um aumento de mortes.

No Caribe, onde os casos de covid-19 subiram nas últimas cinco semanas consecutivas, o crescimento das infecções foi de 9,3% e o de mortes, de 49%.

A Opas também ressaltou que as hospitalizações por covid-19 cresceram em 18 países americanos, e as admissões em unidades de terapia intensiva aumentaram em 13 países e territórios da região.

“É hora de fazer um balanço desses números e agir. A covid-19 está novamente em alta nas Américas”, declarou a diretora da Opas, Carissa Etienne, durante uma coletiva de imprensa virtual. 

“A verdade é que este vírus não vai desaparecer tão cedo”, acrescentou.

Etienne lembrou que muitos países abandonaram a exigência do uso de máscaras e do distanciamento físico em lugares públicos, mas muitas pessoas seguem em risco de desenvolver formas graves da covid-19 e morrer.

Segundo números da Opas, só 14 dos 51 países e territórios das Américas conseguiram cumprir a meta da Organização Mundial da Saúde (OMS) de vacinar 70% de sua população.

“O aumento de casos deveria servir como um alerta”, disse Etienne.

“Os governos devem continuar monitorando de perto as tendências da covid-19, adaptar seus guias para proteger os mais vulneráveis e estar sempre prontos para ampliar as medidas sociais cada vez que houver um aumento nos casos ou mortes”, observou.

Veja também

O Agente Secreto: novas gravações interditam parte da rua da Aurora neste domingo (21)
RECIFE

O Agente Secreto: novas gravações interditam parte da rua da Aurora neste domingo (21)

Venezuela: a sete dias da eleição, pesquisas divergem sobre resultado
venezuela

Venezuela: a sete dias da eleição, pesquisas divergem sobre resultado

Newsletter