Operação Endosso prende oito suspeitos de envolvimento em sonegação de impostos

Segundo a Secretaria da Fazenda do Estado, foram sonegados o equivalente R$ 122 milhões

Coletiva de imprensa da operação EndossoColetiva de imprensa da operação Endosso - Foto: Armando Holanda/Portal FolhaPE

Um esquema de sonegação de impostos e falsificação de notas fiscais que resultaram no desvio de R$ 122 milhões foi alvo da Operação Endosso, deflagrada nessa terça-feira (30) pela Polícia Civil de Pernambuco em parceria com a Secretaria da Fazenda do Estado. Esse dinheiro sonegado em 2017, segundo a Fazenda, daria para manter, por seis meses, quase seis hospitais públicos ou até mesmo construir outros quatro.

No total, 10 mandados foram expedidos e, até o momento, oito foram cumpridos. Entre os envolvidos, está uma mulher que, segundo a polícia, possui 11 números de inscrições falsas de CPF que eram utilizados no esquema de sonegação de impostos. Dois dos operadores financeiros se encontram foragidos - a portadora dos CPFs, Juliana Duarte de Andrade, que está em Lisboa, Portugal, e Robson Félix da Silva. 

Leia também:
Operação Endosso: Polícia Civil prende sargento reformado


Nesta operação, foram presos Kayo Robson Moura da Silva, Amarillys Camila de Moura Pimentel, o sargento reformado Manoel Régio da Silva - consta como sócio das empresas laranjas -, Ana Maria Barbosa Medino, Alessandro Luiz Medino
Rizomar Felipe da Silva Passos, Januário Luna de Melo e Albino Barros da Silva.

Veja também

Lua é mais rica em água do que se imaginava, indica Nasa
ciência

Lua é mais rica em água do que se imaginava, indica Nasa

Entretenimento com animais silvestres traz riscos à saúde, diz ONG
meio ambiente

Entretenimento com animais silvestres traz riscos à saúde, diz ONG