A-A+

PERNAMBUCO E SÃO PAULO

Operação mira suspeitos de sequestro e apreende carros de luxo; resgate foi pago em criptomoeda

Mandados são cumpridos no Recife, Agreste de Pernambuco e São Paulo

Corolla e Range Rover apreendidos pela operaçãoCorolla e Range Rover apreendidos pela operação - Foto: Divulgação/Polícia Civil de Pernambuco

Deflagrada na manhã desta terça-feira (27), a Operação Dirty Money (Dinheiro Sujo) mira, em Pernambuco e São Paulo, suspeitos de sequestro, tortura, adulteração de carros, uso de documento falso e receptação. 

De acordo com a Polícia Civil de Pernambuco, as investigações sobre a ação da quadrilha tiveram início em março de 2021 com o sequestro de uma vítima. O resgate foi pago em criptomoedas, segundo a corporação.

Foram expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital um total de 21 mandados, sendo oito de prisão e 13 de busca e apreensão domiciliar.

As ordens judiciais são cumpridas no Recife e em mais três cidades de Pernambuco - Belo Jardim, Sanharó e São Bento do Una, todas no Agreste -, além de São Paulo (SP). 

Em São Paulo, três mandados são cumpridos com apoio da Divisão Antissequestro da Polícia Civil do estado paulista.

A Polícia Civil investiga se bens adquiridos pelos suspeitos foram adquiridos com a moeda digital.

Até o momento, já foram apreendidos em Pernambuco três carros de luxo: uma BWM, uma Range Rover e um Toyota Corolla, assim como uma carga de LSD.

BWM apreendida pela operação (Foto: Divulgação/Polícia Civil de Pernambuco)

O material apreendido foi encaminhado para a sede do Grupo de Operações Especiais (GOE), no Cordeiro, Zona Oeste do Recife.

As investigações da operação foram presididas pelo titular do GOE, o delegado José Berenguer de Barros e Silva. Ao todo, 35 policiais civis participaram da execução da Dirty Money.

Mais detalhes serão repassados pela Polícia Civil de Pernambuco em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (28).

Veja também

Pandemia impede realização de mais de 1 milhão de cirurgias em um ano
Coronavírus

Pandemia impede realização de mais de 1 milhão de cirurgias em um ano

Grupo Ruas e Praças realiza mediação de conflito em atendimentos presenciais
RECIFE

Grupo Ruas e Praças realiza mediação de conflito em atendimentos presenciais