POLÍCIA

Operação Pertinaz: 25 mandados de prisão foram cumpridos; seis pessoas seguem foragidas

Forças de segurança trabalham para capturar foragidos ainda nesta terça-feira (14)

Operação está sendo realizada nesta terça-feira (14)Operação está sendo realizada nesta terça-feira (14) - Foto: PF/Divulgação

Os trabalhos para capturar os seis foragidos da Operação Pertinaz continuam na tarde desta terça-feira (14). Até o momento, 25 mandados de prisão foram cumpridos e nove pessoas foram autuadas em flagrante por tráfico de drogas e armas. Outros 56 mandados de busca também foram expedidos e seguem em cumprimento.

A operação é comandada pela Força Integrada de Combate ao Crime Organizado de Pernambuco (Ficco/PE), que, criada em 2022, une os trabalhos das forças de segurança do Estado, envolvendo as polícias Civil, Militar, Federal, Penal e Rodoviária Federal.

Foram empregados 328 agentes de segurança para executarem a operação nas cidades de Camaragibe, Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, São Lourenço da Mata, Paulista, Abreu e Lima e Igarassu, além de João Pessoa, na Paraíba.

Entre os alvos, estão três grandes fornecedores de entorpecentes que atuavam (dois) na Região Metropolitana do Recife e (um) na Paraíba. Todos os envolvidos estão ligados, diretamente, com a guerra do tráfico que se instalou na Zona Sul da Capital pernambucana, mais precisamente nas comunidades do Bode, Beira Rio e no bairro de Brasília Teimosa.

Segundo o delegado da Polícia Federal Márcio Tenório, as primeiras informações sobre os envolvidos vieram de reuniões da Ficco, que, quando tomou ciência da existência do grupo criminoso, desenvolveu, há oito meses, os trabalhos de investigação, que confirmaram a atuação da quadrilha, o que culminou com a fase ostensiva da operação, realizada hoje.

“No dia de hoje, além da prisão dos líderes da organização, a gente também cumpre 11 prisões dos gerentes do tráfico, que são as pessoas encarregadas, de dentro dos presídios, de administrar a venda, compra e recebimento de drogas”, explicou.

“São pessoas que têm um longo histórico no tráfico de drogas, que já haviam sido presas em outras investigações e, mesmo dentro dos presídios, continuavam com a atividade criminosa extra muro”, complementou.

O secretário de Defesa Social de Pernambuco, Alessandro Carvalho, destacou que a pasta está trabalhando em conjunto com a Secretaria de Administração Penitenciária para intensificar as ações de retirada de aparelhos celulares dos presídios ou impedir que os smartphones entrem nesses locais. 

“Com essa ação, desarticulamos 15 grupos de tráfico, como alvos, e três grandes fornecedores. A gente espera reduzir a criminalidade na região e estamos atentos, com o reforço do policiamento preventivo pela Polícia Militar e com a nossa inteligência, para que não haja efeito colateral”, explicou.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) atuou em duas frentes, agindo, por meio do serviço de inteligência, na análise dos alvos, e através das equipes especializadas, com policiais de Pernambuco, Paraíba e Alagoas, que também cooperou com o trabalho integrado.

“A gente convocou os policiais envolvidos, previamente, realizou um treinamento, se preparando para o cumprimento das assunções táticas, e tudo evoluiu como a gente havia planejado”, alegou o comandante de operações especiais da PRF, Odinilson Brandão.

Até o momento, foram apreendidos, além de drogas, veículos, armas de fogo, algumas com registro de roubo e furto, smartphones e documentos.

Em dinheiro, a operação apreendeu R$ 41 mil em espécie, somente na casa de um dos alvos. Os materiais foram encaminhados ao Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), que fica em Afogados, Zona Oeste do Recife. Os dados consolidados serão apresentados pela Ficco nas próximas horas.

O nome atribuído à operação Pertinaz advém do latim Obstinatus (aquele que se obstina, que persiste, intransigentemente; teimoso; birrento; cabeça-dura), e está diretamente relacionado ao combate às organizações criminosas voltadas para a prática do tráfico ilícito de entorpecentes e lavagem de dinheiro.
 

Veja também

Tragédias climáticas: 94% das cidades brasileiras pecam na prevenção
Meio Ambiente

Tragédias climáticas: 94% das cidades brasileiras pecam na prevenção

Médico descobre dívida de R$ 6 mil de MEI aberto pela avó; veja como encerrar CNPJ e parcelar débito
RIO GRANDE DO NORTE

Médico descobre dívida de R$ 6 mil de MEI aberto pela avó; veja como encerrar CNPJ e parcelar débito

Newsletter