ACUSADO

Padre Airton, da Fundação Terra, é acusado de orquestrar estupro contra fiel; ele nega

Após caso ser levado a público pela suposta vítima, Igreja Católica afastou o pároco de suas funções religiosas

Sílvia Tavares de Souza e padre Airton Freire se conheceram em 2019; ela pediu ajuda dele durante tratamento contra depressãoSílvia Tavares de Souza e padre Airton Freire se conheceram em 2019; ela pediu ajuda dele durante tratamento contra depressão - Foto: Arquivo Pessoal

O padre Airton Freire, conhecido pelos serviços religiosos prestados juntos à Fundação Terra em Pernambuco, está sendo denunciado por ter orquestrado e participado de um estupro contra uma fiel identificada por Sílvia Tavares de Souza.

O caso teria acontecido no mês de agosto do ano passado, mas só agora foi levado a público. O religioso nega.

A Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) e o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) investigam a acusação, mantida em sigilo pela Justiça. 

Na denúncia, ela afirma que o motorista e segurança do padre, Jailson Leonardo da Silva, de 36 anos, a forçou a ter uma relação sexual com ele a pedido do religioso, que presenciava a cena enquanto se masturbava. Segundo ela, tudo aconteceu em uma residência afastada, dentro do terreno da Fundação Terra.

Sílvia e o pároco se conheceram em 2019, enquanto ela buscava ajuda dele durante um tratamento contra a depressão. Desde então, a relação dos dois se tornou mais próxima. Ela o chamava de “padinho” e ele a chamava por “princesa”.

Após o caso ter vindo a público, o bispo de Pesqueira, Dom José Luiz Ferreira Salles proibiu, nesta terça-feira (30), o padre Airton Freire de “presidir ou administrar qualquer Sacramento ou Sacramental”. Abaixo, confira a nota que trouxe a decisão.

“Vimos, através desta, comunicar que o Exmo. Revmo. Dom José Luiz Ferreira Salles, CSsR, Bispo Diocesano de Pesqueira, no exercício do seu ministério, como Pastor Próprio desta Igreja Particular, que lhe foi confiada pelo Romano Pontífice, considerando a disposição do cânon 1395, §2, do Código de Direito Canônico, DECRETOU, neste dia 30 de maio de 2023, a SUSPENSÃO DE ORDEM 'AD CAUTELAM' do PADRE AIRTON FREIRE DE LIMA. Em consequência, o referido sacerdote fica privado do 'Uso de Ordem' e não tem jurisdição para presidir ou administrar qualquer Sacramento ou Sacramental. Ser-lhe-á vedado, portanto, o exercício do ministério presbiteral e quaisquer cargos eclesiásticos.”

O que diz o padre acusado
Por meio de uma nota da Fundação Terra, o padre Airton Freire lamentou as acusações feitas por Sílvia e disse estar se sentindo "injustiçado", negando que isso tenha acontecido. No mesmo comunicado, ele ainda garantiu aos fiéis que os trabalhos de cunho social feitos pela instituição continuarão. Confira abaixo a nota na íntegra.


"O padre Airton Freire lamenta e se sente injustiçado por denúncias de atos ilícitos que jamais cometeu, movidas por interesses que ainda não estão claros. Apesar de muito triste, padre Airton tem confiança que as investigações realizadas restabelecerão a verdade dos fatos — isto é, provarão que crime algum foi cometido. Enviamos esse comunicado a todos os irmãos e irmãs para que se mantenham tranquilos, porque as obras sociais da Terra serão mantidas. O padre está sendo defendido pelos advogados Mariana Carvalho e Marcelo Leal. Também tomamos o cuidado de responder a todas as reportagens na imprensa, com o intuito de reafirmar a inocência do padre Airton. Esperamos que todos se mantenham serenos, pois quem está com a verdade de Cristo não tem o que temer.”

Veja também

Reforma crucial apresentada por Milei dá passo-chave no Senado
ARGENTINA

Reforma crucial apresentada por Milei dá passo-chave no Senado

São João do Recife 2024: Sítio Trindade tem abertura com presença do prefeito João Campos 
CELEBRAÇÃO

São João do Recife 2024: Sítio Trindade tem abertura com presença do prefeito João Campos 

Newsletter