Pai reconhece corpo da filha sequestrada no Cabo de Santo Agostinho

O padrasto também foi encontrado morto em Ribeirão, na quinta-feira (13), pendurado em uma ponte da BR 101

O pedreiro João Pereira fez o reconhecimento do corpo da filha que foi sequestrada pelo padastro no Cabo de Santo Agostinho e foi encontrada morta em Ribeirão neste sábadoO pedreiro João Pereira fez o reconhecimento do corpo da filha que foi sequestrada pelo padastro no Cabo de Santo Agostinho e foi encontrada morta em Ribeirão neste sábado - Foto: Ed Machado/ Folha de Pernambuco

O corpo de Maria Irlaine Dantas da Silva, de 10 anos, só deve ser liberado do IML do Recife nesta segunda (17). A criança estava desaparecida desde a segunda-feira (10), quando foi sequestrada pelo padrasto, no Cabo de Santo Agostinho, e foi encontrada morta em Ribeirão na noite de sábado (15). O padrasto também foi encontrado morto em Ribeirão, na quinta-feira (13), pendurado em uma ponte da BR 101.

A delegacia de Ribeirão pediu exame sexológico, para determinar se ela sofreu violência sexual, e de DNA, para confirmar sua identidade. O corpo não pode ser liberado rapidamente porque, para fazer o teste de DNA, a mãe de Irlaine será trazida de Barra de Guabiraba, onde está no momento, até o Laboratório de Genética Forense, em Jaboatão dos Guararapes. Uma distância de 112 km. É o ex-prefeito de Barra de Guabiraba, Bebeto, que está dando o suporte logístico à família, para realizar o trajeto, e ainda está no Recife.

Abalado, o pai da criança, o pedreiro João Pereira, reconheceu o corpo. “Minha filha sofreu muito. Deve ter sido torturada tentando se livrar das garras dele. Ele deve ter esganado ela, porque ela estava com a língua para fora. E arrastada pelo canavial, porque estava muito arranhada na lateral do corpo. Um monstro desses nem o diabo quer”, desabafou.

Veja também

Covid-19: Rio vacina profissionais da limpeza urbana esta semana
Coronavírus

Covid-19: Rio vacina profissionais da limpeza urbana esta semana

Uefa defende decisão sobre estádio em Munique mas adiciona cores do arco-íris em logo
DIVERSIDADE

Uefa defende decisão sobre estádio em Munique mas adiciona cores do arco-íris em logo