País ainda tem 616 pontos de concentração nas estradas e três pontos de bloqueio

Segundo o governo, em nenhum dos pontos em que há interdição total das rodovias o bloqueio ocorre por caminhoneiros

Paralisação dos caminhoneiros na Rodovia Presidente Dutra, no Rio de JaneiroParalisação dos caminhoneiros na Rodovia Presidente Dutra, no Rio de Janeiro - Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Balanço divulgado pelo Ministério da Defesa e Polícia Rodoviária Federal (PRF) aponta 616 pontos de concentração de caminhoneiros e outros manifestantes nas estradas na tarde desta terça-feira (29). Apesar dos pontos, há apenas três bloqueios de rodovias, em Minas Gerais, Ceará e no entorno do Distrito Federal. Os locais exatos não foram divulgados por questões de segurança, informa a PRF.

Segundo o governo, em nenhum desses pontos em que há interdição total das rodovias o bloqueio ocorre por caminhoneiros. Já o total de pontos de concentração representa um aumento em relação aos dados dos últimos dias. Na segunda-feira, eram 594.

"O número aumentou um pouco, mas as concentrações são bem menores", afirmou o almirante Ademir Sobrinho, chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas.
Segundo ele, muitos desses pontos são de manifestantes com outras reivindicações, além de caminhoneiros ainda localizados às margens das rodovias -muitos "com receio de sair das estradas" pela ação de outros grupos, diz.

Leia também
Michel Temer, Maia e Eunício pedem que caminhoneiros voltem ao trabalho
Confederação de caminhoneiros denuncia infiltração e pede fim da greve
Crise dos combustíveis: "Ele vai colocar a sociedade contra nós", diz caminhoneiro sobre Michel Temer


A PRF afirma que está oferecendo escoltas para aqueles que querem retomar as atividades e atua na criação de corredores de livre circulação nas rodovias.
Nesta terça, foram abertos três corredores: um entre Belo Horizonte e Brasília, outro entre Vilhena e Rio Branco (AC) e um terceiro entre Caracaraí (RR) e Boa Vista. A previsão é que outros sejam abertos até quarta-feira (30).

"Quando se abre o corredor, fazemos escolta. E na medida em que o comboio vai passando, há um grupo precursor que vai nos pontos de concentração e avisa que o comboio vai passar para que mais caminhoneiros possam se juntar. Quando sentimos que a rodovia está segura, colocamos proteção só nos pontos críticos", diz Sobrinho.

A PRF diz que encaminhou à AGU (Advocacia-geral da União) dados de 176 situações em que veículos estavam descumprindo a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) de desobstruir as vias. As multas podem chegar a R$ 100 mil por empresa.

Prisões
O balanço aponta ainda sete prisões até às 18h desta terça. Segundo a PRF, todas elas ocorreram após ação no interior de Maranhão, onde manifestantes bloqueavam vias. Segundo Célio Constantino, corregedor-geral da PRF, policiais usaram gás lacrimogêneo para liberar a via.

Além desse local, também houve ao menos outros três casos de confronto desde a noite desta segunda-feira (28), localizados nas proximidades de Rio Branco (AC), Seropédica (RJ) e Barra Mansa (RJ).

Veja também

Ministério Público denuncia homem preso por furto de bicicleta no Leblon
Crime

Ministério Público denuncia homem preso por furto de bicicleta no Leblon

Guedes defende fala sobre excesso de comida e lamenta 'ironia' da imprensa
Economia

Guedes defende fala sobre excesso de comida e lamenta 'ironia' da imprensa