Encontro

Pais da menina morta em Porto de Galinhas vão ter audiência com o governador de Pernambuco

Segundo o advogado da família da menina, encontro será quarta ou quinta

Pais de Heloysa GabriellePais de Heloysa Gabrielle - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Uma audiência dos pais da menina Heloysa Gabrielle, de 6 anos de idade, vítima de bala perdida na comunidade das Salinas, em Porto de Galinhas, em Ipojuca, no litoral Sul de Pernambuco, com o governador do Estado, Paulo Câmara, será realizada ainda esta semana.

A audiência foi acertada em reunião dos familiares e representantes do Governo do Estado, no fim da manhã desta segunda-feira, após protesto realizado diante do Palácio do Campo das Princesas, no Recife. Na audiência, a família pretende discutir a ação da polícia que resultou na morte da criança. O governador Paulo Câmara está, nesta segunda, em Brasília.

“O secretário que representa a Casa Civil marcou uma audiência com o governador ainda esta semana. No máximo, na quarta ou na quinta, a gente vai se reunir. Nós pedimos que tudo isso seja documentado”, afirmou o advogado da família da garota, Eliel Silva. Após o encontro, os pais de Heloysa Gabrielle deixaram a sede do governo sem falar com a imprensa. 


Segundo a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, a menina foi atingida durante troca de tiros entre policiais e traficantes. Os moradores contestam essa versão e afirmam que não houve tiroteio. Ainda não foi identificada de qual arma partiu o projétil que atingiu Heloysa.

O advogado disse ainda que solicitou aos representantes do Governo o afastamento imediato dos policiais envolvidos no caso.

“A gente falou da violabilidade do domicílio porque, a partir do momento que a operação continua e não tem hora para acabar e que eles estão na comunidade abrindo as portas sem os moradores falarem que podem entrar, há uma violabilidade do domicílio. Já foi registrado para o secretário e ele disse que vai analisar junto com o governador o fim das operações nesse sentido”. 
 

Advogado da família de HeloysaAdvogado da família de Heloysa. Foto: Marconi Meireles/Folha de Pernambuco

Eliel informou também que a família pediu celeridade nas investigações e na culpabilidade dos envolvidos. “Por se tratar de uma criança de 6 anos, é necessário que seja dado celeridade e prioridade absoluta. Se a polícia e a proteção não chegaram antes para a vida de Heloysa, que chegue agora nas investigações e responsabilizações imediatas de quem atirou e corroborou com esse tipo de violência”.

Em nota, a Secretaria da Casa Civil de Pernambuco detalhou a reunião. "O grupo solicitou que os policiais que participaram da operação do último dia 30, em Porto de Galinhas, sejam afastados das atividades ostensivas", diz o comunicado.

Após a reunião no Palácio do Campo das Princesas, familiares da menina Heloysa e advogados da família foram até a Corregedoria da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS-PE), na tarde desta segunda. Em nota, a SDS destacou que, na ocasião, mais um canal de comunicação foi aberto pela Corregedoria e colocado à disposição. 

"O órgão correicional destacou um servidor em Ipojuca para receber informações relacionadas ao caso e atender a população. A Corregedoria ressalta ainda que, na mesma noite do ocorrido, um processo foi instaurado para apurar os fatos e está em curso neste momento", diz a nota. 

A SDS ressalta, ainda, que as investigações no âmbito da Polícia Civil de Pernambuco seguem em andamento pela 15ª Delegacia de Polícia de Homicídios/DHMS, coordenada pelo delegado Roberto Ferreira e que não é possível fornecer detalhes do trabalho em curso para não comprometer as diligências. 

Confira a nota da Secretaria da Casa Civil na íntegra:

A Secretaria da Casa Civil de Pernambuco informa que uma comissão, formada por familiares da menina Heloysa Gabrielly, advogados e movimentos sociais, foi recebida nesta segunda-feira (04), no Palácio do Campo das Princesas, pelo secretário-executivo de Articulação e Acompanhamento, Eduardo Figueiredo. 

Durante a reunião, o grupo solicitou que os policiais que participaram da operação do último dia 30, em Porto de Galinhas, sejam afastados das atividades ostensivas. Os familiares de Heloysa Gabrielly e advogados também relataram supostos atos de truculência na abordagem policial e pediram celeridade nas investigações, além de uma agenda com o governador Paulo Câmara. 

Em resposta, o secretário-executivo, primeiramente, solidarizou-se com o ocorrido e reforçou que o Governo do Estado não comunga com atos de truculência e que o governador Paulo Câmara já pediu rigor e celeridade nas apurações do caso. O secretário-executivo informou, ainda, que o governador irá receber a família da menina. A agenda deverá ser marcada ainda esta semana.

Sobre o pedido de afastamento dos militares, Eduardo Figueiredo afirmou que o pleito será encaminhado à Secretaria de Defesa Social (SDS). Ele também se colocou à disposição da família para esclarecer dúvidas que venham a surgir sobre o caso.

Veja também

Pernambuco autoriza vacinação contra a influenza para todos os moradores a partir de seis meses
Saúde

Pernambuco autoriza vacinação contra a influenza para todos os moradores a partir de seis meses

Moradores fecham pista da av. Agamenon Magalhães após fio de alta tensão cair em rua da Zona Norte
Recife

Moradores fecham pista da av. Agamenon após fio de alta tensão cair em rua da Zona Norte