GUERRA NO ORIENTE MÉDIO

Papa Francisco lamenta morte de mulheres em paróquia católica na Faixa de Gaza: "Rezemos pela paz"

Mãe e filha foram fuziladas dentro de uma paróquia da Sagrada Família, neste sábado

Papa Francisco, na abertura do Sínodo dos BisposPapa Francisco, na abertura do Sínodo dos Bispos - Foto: Andreas Solaro/AFP

O Papa Francisco lamentou, neste domingo (17), a morte de duas mulheres numa paróquia católica de Gaza, no sábado. O pontífice afirmou que neste território palestino há “civis indefesos” que são alvo de tiros e bombardeios.

“Continuo recebendo informações muito sérias e dolorosas de Gaza. Há civis indefesos sendo bombardeados e alvejados. Uma mãe e sua filha (...) morreram e outras foram feridas por tiros de franco-atiradores”, disse Francisco no final do discurso na Oração do Ângelus.

O incidente “ocorreu inclusive dentro da paróquia da Sagrada Família, onde não há terroristas, mas sim famílias, crianças, doentes ou deficientes”, continuou.

O Patriarcado Latino de Jerusalém informou, no sábado, que uma mãe e sua filha foram mortas por um soldado israelense no complexo que abriga a única igreja católica na Faixa de Gaza.

“Por volta do meio-dia, um atirador do exército israelense matou duas mulheres cristãs na paróquia da Sagrada Família, em Gaza, onde a maioria das famílias cristãs de Gaza se refugiou desde o início da guerra entre Israel e Hamas”, observou o patriarcado em uma afirmação.

“Nahida e sua filha Samar foram mortas a tiros enquanto caminhavam para o convento das irmãs”, acrescenta o comunicado, sem especificar a idade das vítimas. Outras sete pessoas ficaram feridas enquanto tentavam se proteger dos disparos, detalha a mesma fonte.

“Alguém diz que é terrorismo, é guerra. Sim, é guerra, é terrorismo (…) rezemos ao Senhor pela paz”, insistiu o papa, que completa 87 anos neste domingo.

Veja também

Ataques israelenses na Síria mataram uma menina e três combatentes do Hezbollah
mundo

Ataques israelenses na Síria mataram uma menina e três combatentes do Hezbollah

Legislativas têm forte participação na África do Sul; partido de Mandela pode perder maioria
mundo

Legislativas têm forte participação na África do Sul; partido de Mandela pode perder maioria

Newsletter