Para Dilma, ideia de Macron de internacionalizar Amazônia é 'absurda'

Dilma fez essas declarações em um discurso para o auditório lotado do Instituto de Relações Internacionais e Estratégicas de Paris

Dilma RousseffDilma Rousseff - Foto: Divulgação

A ex-presidente do Brasil Dilma Rousseff tachou, nesta quarta-feira, como "absurda" a ideia sugerida pelo mandatário francês, Emmanuel Macron, de conceder um status internacional à Amazônia, devido aos incêndios.

"É uma proposta absurda", disse Dilma. "Quando (Emmanuel) Macron fala em intervir na Amazônia, cria um grande apoio para o (presidente Jair) Bolsonaro, porque ninguém no Brasil acha que isso seria uma boa ideia".

Dilma fez essas declarações em um discurso para o auditório lotado do Instituto de Relações Internacionais e Estratégicas de Paris, sobre "A crise sistêmica mundial e as perspectivas democráticas".

Leia também:
'Macron conseguiu unir o Brasil em torno de Bolsonaro', diz Olavo sobre crise na Amazônia
Brasil vai rejeitar ajuda para a Amazônia oferecida pelo G7 e anunciada por Macron


"O Brasil, sem a Amazônia, sem seus indígenas, não é o Brasil, pode ser outra coisa, mas não é Brasil", afirmou a ex-presidente.

"Há 20 milhões de habitantes na Amazônia, não é um deserto", afirmou Dilma, lembrando que a Guiana francesa - território ultramarino francês na área amazônica - "também tem problemas", sobretudo de mineração.

Dilma pediu a criação de uma "frente democrática" para rechaçar a exploração que ameaça áreas de proteção ambiental e terras indígenas. "Bolsonaro quer que a Amazônia seja aberta à exploração absurda", denunciou.

"Quando rejeita dinheiro internacional, demonstra que não quer protegê-la", destacou, referindo-se ao montante prometido pelos países do G7 para combater os incêndios na maior floresta tropical do planeta.

Ela também criticou os comentários de Jair Bolsonaro sobre a aparência da primeira-dama francesa, Brigitte Macron, e sobre a alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, a chilena Michelle Bachelet.

"O que acontece é que Bolsonaro não tem o chip da moderação", disse a primeira mulher eleita presidente do Brasil, em 2010, destituída após um processo de impeachment em 2016.

Veja também

Confira a previsão do tempo para esta segunda (30) em Pernambuco
TEMPO

Confira a previsão do tempo para esta segunda (30) em Pernambuco

Praia de Boa Viagem com poucos banhistas neste domingo de segundo turno
Recife

Praia de Boa Viagem com poucos banhistas neste domingo (29)