ParCão Santos Dumont faz evento com animais especiais

Feira de adoção acontece nesta sexta-feira (8), das 10h às 16h, no parque que fica localizado em Boa Viagem

ParCão do Santos Dumont recebe feira de adoção ParCão do Santos Dumont recebe feira de adoção  - Foto: Divulgação

O Parque Santos Dumont, em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, recebe nesta sexta-feira (8), uma etapa dos Jogos Paralímpicos de Pernambuco. E, dentro das ações do evento, haverá uma feira de adoção de animais especiais, ou seja, com algum tipo de limitação. A feira, que acontecerá das 10h às 16h, no espaço destinado ao ParCão, é organizada pela APAPE (Associação dos protetores de animais de Pernambuco).

Serão cães e gatos de protetores independentes e também de alguns abrigos da Região Metropolitana do Recife ligados à APAPE. Os animais são adultos, todos castrados, vacinados e vermifugados. Os adotantes preencherão um termo de adoção responsável no local. Normalmente, a Associação costuma fazer um acompanhamento de seis meses após as adoções nos eventos que realiza. Por serem animais especiais, esse serviço se estenderá por um ano.

"A gente pode dizer que um animal é especial a partir do momento que ele apresenta algumas necessidades especiais, que podem ser de várias naturezas. Às vezes ele precisa de uma adaptação em relação à motricidade por dificuldade na locomoção, uma deficiência por trauma ou amputação. Em relação à parte psicológica, pode ser um animal epilético, controlado com medicações. Normalmente, com a chegada da idade, alguns animais tendem a apresentar necessidades especiais naturais também, como cardiopatias, alteração na pressão, perda de visão, entre outras. Um evento de adoção por si só dá visibilidade a esses animais, que precisam só de um pouco mais de amor e boa vontade. Com isso, eles se recuperam e têm uma vida muito próxima do que a gente chama de normal", destaca a veterinária Camilly Gonçalves.

Animais especiais estarão à espera de um lar

Animais especiais estarão à espera de um lar - Crédito: Divulgação

"A pessoa que se propõe a adotar um animal especial tem que se despir de qualquer preconceito e estar revestida de muito amor e carinho. A questão da deficiência está mais na cabeça do proprietário do que na consciência do animal, porque eles se adaptam a qualquer situação.Mesmo um animal que perde a visão, por exemplo, ele se adapta com o tempo. Os cuidados vão depender de cada caso específico. O mais importante realmente é muito amor e carinho, que é o que faz qualquer relação dar certo", reforça ela. 

Veja também

A corrida da nova geração de videogames
Tecnologia

A corrida da nova geração de videogames

Pernambuco registra 1.494 novos casos e 28 óbitos por Covid-19 nas últimas 24h
Covid no estado

Pernambuco registra 1.494 novos casos e 28 óbitos por Covid-19 nas últimas 24h