Parlamento francês aprova 15 dias de licença por morte de um filho

Aprovação do texto gerou emoção e lágrimas no fim da sessão pelos parlamentares

Parlamento francês em sessão nesta terça-feira (25) Parlamento francês em sessão nesta terça-feira (25)  - Foto: Christophe Archambault / POOL / AFP

O Parlamento francês adotou por unanimidade, nesta terça-feira (26), o projeto de lei que prevê 15 dias de dispensa do trabalho por luto para os pais que perderem um filho.

O texto foi adotado por aclamação, com o apoio de todos os grupos, em um ambiente cheio de emoção e com algumas lágrimas. E ao fim, a votação foi aplaudida de pé.

Leia também:

Casos de coronavírus em crianças até 9 anos sobem 50 vezes em SP no último mês

França propõe quarentena voluntária a franceses procedentes de fora da UE 

A morte de um filho é "uma tragédia sem paralelo" e as famílias devem ser acompanhadas "da melhor maneira possível", embora "nunca seja do tamanho do drama que existe", declarou o ministro do Trabalho, Muriel Pénicaud, que acrescentou que esse problema "assume uma nova dimensão" no contexto da nova pandemia de coronavírus.

O texto estende os atuais cinco dias de licença atualmente previstos no Código do Trabalho para sete e cria uma "permissão de luto" fracionária de outros oito dias, que será assumida pela Previdência Social.

Essa permissão é estendida a freelancers e funcionários.

Da mesma forma, um subsídio será concedido às famílias em caso de morte de um filho a cargo, cujo valor será determinado por decreto. 

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

Veja também

Recife tem 70% da população adulta vacinada contra Covid-19 com ao menos uma dose
Saúde

Recife tem 70% da população adulta vacinada contra Covid-19 com ao menos uma dose

Vaticano julga cardeal por escândalo financeiro
Religião

Vaticano julga cardeal por escândalo financeiro