CRISE NA UCRÂNIA

Parlamento russo aprova acordos de Putin com separatistas da Ucrânia

Decisão agravou a crise com países ocidentais

Vladimir Putin Vladimir Putin  - Foto: Alexey Nikolsky / Sputnik / AFP

O Parlamento da Rússia ratificou, nesta terça-feira (22), o acordo assinado pelo presidente Vladimir Putin para defender os separatistas do leste da Ucrânia, após o reconhecimento de suas repúblicas na véspera.

"O reconhecimento da independência das repúblicas populares de Donetsk e Lugansk e a ratificação dos acordos de amizade, cooperação e ajuda devem pôr fim ao conflito, à morte dos nossos concidadãos que ali vivem", declarou o presidente da Duma (Câmara Baixa russa), Viacheslav Volodin.

Os deputados aprovaram os dois textos por unanimidade, com 400 votos a favor em um caso, e 399, no outro. Neste último, um dos membros da Casa não apertou o botão para votar a tempo.

Na sequência, os deputados aplaudiram de pé a tramitação do texto. 

Pouco depois, os membros da câmara alta, o Conselho da Federação, seguiu a mesma direção, aprovando ambos os textos.

"Esta é uma decisão há muito tempo esperada", afirmou a presidente do Conselho, Valentina Matviyenko, após a votação. 

"A ratificação desses acordos abre uma nova vida, dá novas possibilidades aos moradores de Donetsk e Luhansk", acrescentou.

Os acordos de ajuda entre a Rússia e os separatistas ucranianos vão durar dez anos. 

A decisão de Putin gerou uma onda de repúdio dos países ocidentais, que anunciaram duras sanções à Rússia.

Veja também

Inverno começa nesta quinta-feira com a maior noite do ano
INVERNO

Inverno começa nesta quinta-feira com a maior noite do ano

"Cheiro perturbador": Crise sanitária em Gaza força moradores a viver entre pilhas de lixo
MUNDO

"Cheiro perturbador": Crise sanitária em Gaza força moradores a viver entre pilhas de lixo

Newsletter