AEROPORTO

Passageiros enfrentam transtornos após cancelamento de 16 voos devido às chuvas no Recife; confira

Outros 23 voos precisaram ser transferidos para outros aeroportos, também por conta das chuvas

Dormitórios em formato de cabines, que ficam no terceiro piso do espaço, foram algumas das opções encontradas pelos passageirosDormitórios em formato de cabines, que ficam no terceiro piso do espaço, foram algumas das opções encontradas pelos passageiros - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Como consequência das fortes chuvas que acometeram o Recife e a Região Metropolitana de forma mais intensa nesta quarta-feira (14), 16 voos foram cancelados no Aeroporto Internacional do Recife, na Zona Sul da cidade. Além disso, outros 23 precisaram ser realocados. Passageiros que tiveram suas agendas comprometidas por conta do mau tempo lotaram o espaço enquanto aguardavam definição das companhias aéreas.

Dormitórios em formato de cabines, que ficam no terceiro piso do aeroporto, foram algumas das opções encontradas pelos passageiros.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Folha de Pernambuco (@folhape)

 

Natural de Minas Gerais, o bancário Fábio Andrade, de 45 anos, deixou o Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, às 7h. Ele iria fazer apenas uma conexão no Recife, às 11h. Mas os planos mudaram.

Bancário Fábio Andrade, de 45 anos, contou frustração em viagem de férias para o Rio Grande do Norte (Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco)

"Me mandaram para Maceió (AL) e ficamos lá mais de uma hora sem saber o que fazer. Ninguém disse nada, apenas que o aeroporto daqui do Recife estava fechado. Tinham idosos, inclusive. Não pagaram almoço nem nada. Os ônibus eram pequenos e tinha mais de mil passageiros esperando", explicou Fábio, que teve seu voo remarcado pela Azul às 21h45.

Quem viveu uma situação parecida com a de Fábio foi o comerciante Gustavo Fernandes, de 38 anos. Ele perdeu um compromisso de trabalho.

Gustavo Fernandes (esquerda) perdeu um compromisso de trabalho em São Paulo (Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco)

“Eu vou para São Paulo. Meu voo na GOL estava previsto para as 11h e estou desde 9h aqui. Disseram que, por conta do tempo, não poderíamos ir. Ofereceram refeição só agora no final da noite", explicou o comerciante, que também mencionou o prejuízo de R$ 1.600 com a diária da hospedagem, dividida para ele e outras três pessoas. O voo de Gustavo foi remarcado para as 5h20 desta quinta-feira (15).


Outra pessoa que ficou "presa" no Aeroporto Internacional do Recife foi a advogada Maria Helena Alves, de 25 anos. Ela estava na última conexão de uma viagem para a paradisíaca Ilha de Fernando de Noronha, junto do seu marido.

"Era para a gente chegar em Noronha de tarde mas, na hora do pouso, disseram que a gente não ia conseguir, aí voltamos para Aracaju e ficamos esperando umas duas horas. Fomos para Fortaleza, demorou mais ainda, e chegamos aqui umas 17h30", afirmou.

Ela e o marido receberam, cada um, um voucher de R$ 37 da Azul. O casal, inclusive, disse não sabe onde irá dormir nesta madrugada.

Evanir Sousa Santos, de 65 anos, mora em São Paulo e veio para a capital pernambucana a passeio com a filha, Cristiane Sousa Carneiro. Elas também foram afetadas pelas chuvas.

Evanir Sousa Santos, de 65 anos, aguarda solução para retornar para casa com a filha, em São Paulo (Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco)

"Nosso voo era na tarde, mas desde de manhã estamos aqui. Não recebemos nenhum suporte até agora. Minha filha está vendo se consegue trocar as passagens. Faço tratamento, porque tenho problema no coração. Se tivesse tratamento lá hoje, teria perdido o dia”, disse Evanir, que tem voo agendado pela Azul.

Peça do teto caiu
Em meio ao cenário de intensa movimentação, o Aeroporto Internacional do Recife registrou a queda de uma peça do teto na tarde de ontem. O item de metal é apelidado por “colmeia” e caiu no ombro de um idoso que passava pela área do embarque nacional no momento.

Veja também

Ucrânia acusa as forças russas de decapitar soldado ucraniano
GUERRA

Ucrânia acusa as forças russas de decapitar soldado ucraniano

Ipea estima 24 mil homicídios não registrados no país de 2019 a 2022
IPEA

Ipea estima 24 mil homicídios não registrados no país de 2019 a 2022

Newsletter