Passageiros relatam problemas no primeiro dia útil após aumento de passagem do metrô

Desde o domingo a tarifa passa a valer R$2,10 até atingir o reajuste de 150% em março de 2020, custando R$ 4

Integração temporal na Estação RecifeIntegração temporal na Estação Recife - Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Com aumento de passagens no metrô e implementação do terminal integrado, a manhã desta segunda-feira (6) foi marcada por confusões na Estação Recife. Para o passageiro Lucas Dias Couto, a cobrança de R$ 2,10 foi inesperada, tanto pelo valor que não deveria ter sido cobrado, pois ele chegou de ônibus ao local (já que Lucas usava a Integração Temporal), como também pelo aumento da passagem sem as melhorias necessárias no serviço - segundo o passageiro.

Nesse sentido, Leonardo Villar, superintendente da Companhia Brasileira de Trens Urbanos Recife (CBTU), aponta que, para gerar mudanças, é necessário que haja o aumento gradual do valor das passagens no metrô.

De acordo com Leonardo, "esse aumento é importante porque o governo federal hoje já subsidia a operação de metrô em aproximadamente 90%. É muito difícil manter essa situação e querer exigir do governo federal um aumento de orçamento, então esse aumento dá força para que a gente possa reivindicar um orçamento maior no próximo ano e ofertar à população as melhorias que tanto desejam".

Leia também:
Indignação marca primeiro dia de nova tarifa do metrô no Recife
Metrô do Recife pode parar em julho
Com aumento de 150%, tarifa do Metrô subirá para R$ 4 até março de 2020
Começa a valer integração temporal do TI Recife

Além disso, Leonardo Villar pontua que mesmo quando a arrecadação chegar em R$ 4 - em maio de 2020 - a arrecadação média por usuário transportado no metrô será de R$ 1,34, pois, segundo ele, 56% dos usuários do metrô utilizam a integração temporal.

Dessa forma, o superintendente também pontua como positiva a cooperação com o Grande Recife na implementação da integração temporal na Estação Recife, pois a ação gerou um aumento de três mil usuários transportados, diminuindo a evasão do sistema e aumentando a arrecadação.

Para resolver problemas, o Grande Recife e a Companhia Brasileira de Trens Urbanos têm identificado os transtornos e buscado soluções. De acordo com André Melibeu, diretor de Operações do Grande Recife Consórcio, "há um registro de todas as pessoas que alegaram pagamento em duplicidade e este valor está sendo ressarcido ao usuário".

André reforça também as ações locais, como o incentivo à compra do cartão VEM por R$ 10 reais - valor que é creditado no cartão - e carregamento sem taxa para o usuário. De acordo com o Grande Recife, aproximadamente 10% dos passageiros ainda não compraram o cartão VEM.

Veja também

Hospital Veterinário do Recife abre seleção para estágio obrigatório
Folha Pet

Hospital Veterinário do Recife abre seleção para estágio obrigatório

Cartilha explica leis trabalhistas do Brasil para imigrantes
INFORMATIVO

Cartilha explica leis trabalhistas do Brasil para imigrantes