CRIME

Pastelaria do Rio Grande do Sul denuncia caso de racismo em pedido de delivery

Cliente solicitou que entrega não fosse realizada por profissional negro

Solicitação foi registrada em parte de observações do pedidoSolicitação foi registrada em parte de observações do pedido - Foto: Reprodução

Em pedido de delivery realizado em uma pastelaria do município de Campo Bom, no Rio Grande do Sul, na terça-feira (14), uma cliente solicitou que a entrega da comida fosse realizada por um motoboy branco. O caso foi divulgado nas redes sociais pelos responsáveis pela empresa, que o denunciaram como racismo

Na nota gerada pela plataforma de delivery, é possível observar um comentário adicionado ao pedido. Nele, a cliente solicita que não seja enviado um motoboy negro. A justificativa fornecida pela mulher para exigência é não gostar de “pessoas assim encostando na minha comida”. 

Ao receber o pedido, a atendente informa para a cliente que realizará o cancelamento da solicitação de forma imediata. Na conversa, a mulher também pede que a cliente não realize novos pedidos na loja. 

“Não quero gente assim comprando no meu estabelecimento”, afirmou. 

De acordo com a atendente, o motoboy negro que realiza as entregas da loja é o próprio dono da franquia de pastéis. O caso foi denunciado e será investigado pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul. 

Por meio de nota, a gestão da franquia se solidarizou com o proprietário da loja de Campo Bom. Na publicação, a empresa informou que repudia “veementemente os comentários racistas proferidos imotivadamente, em atitude criminosa”.

A pastelaria reforçou que o caso já foi denunciado e que “tamanha agressão não passará impune”. 
 

Veja também

Celac realiza cúpula anual, marcada por tensão entre Venezuela e Guiana
INTERNACIONAL

Celac realiza cúpula anual, marcada por tensão entre Venezuela e Guiana

Instituto do Autismo ganha unidade em Caruaru, no Agreste de Pernambuco
INCLUSÃO

Instituto do Autismo ganha unidade em Caruaru, no Agreste de Pernambuco