Pastor suspeito de estupros se apresentará à polícia

Acusado de estuprar sete meninas comparecerá à DPCA na próxima semana

Sete testemunhas foram ouvidas pelo delegado Ademir SoaresSete testemunhas foram ouvidas pelo delegado Ademir Soares - Foto: Julya Caminha

O pastor evangélico de uma igreja pentecostal localizada no bairro do Ibura, Zona Sul do Recife, que está sendo acusado de estuprar sete meninas, vai se apresentar à polícia na próxima semana. De acordo com o advogado que o representa, Anderson Frazão, a defesa está negociando a sua apresentação. O suspeito de abusar das crianças se retirou de sua residência após represálias e está em um local divulgado apenas para a investigação do caso e familiares.

As denúncias contra o líder religioso começaram após uma das mães das vítimas após relatos da própria criança ir dar queixa na delegacia. O delegado Ademir Soares, do Departamento de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), está à frente das investigações.

Segundo o investigador, sete das 12 testemunhas foram ouvidas, além de uma parente de uma das vítimas e a esposa do pastor. Ainda segundo a investigação, o pastor usava de sua posição na comunidade religiosa para cometer os crimes. As vítimas foram encaminhadas para exames sexológicos no Instituto Médico Legal (IML). A conclusão do inquérito virá no início de abril. A Polícia Civil ainda informou que as crianças vítimas do abuso são todas menores de 12 anos.

Leia também:
Pastor evangélico é suspeito de estuprar sete meninas no Recife
Polícia investiga estupro cometido pelo pai da vítima em motel

Uma das mães disse à reportagem que suspeita como os abusos ocorreram. Segundo ela, as crianças eram convidadas à casa do pastor, onde supostamente se reuniam para eventos religiosos. “Ele reunia as crianças na casa dele para promover banhos de piscina, e eu acredito que era para fazer esses estupros. Depois que eu vi, da minha casa, que ele tomava banho de piscina com as crianças eu proibi que as minhas duas filhas participassem”, relatou.

Outros casos de violência semelhantes a este podem ser denunciados por meio do Disque 100. A Polícia Civil de Pernambuco também recebe denúncias por meio do número (81) 3184-3579.

Veja também

Opas adverte que Covid-19 continuará se propagando mesmo após vacina
Coronavírus

Opas adverte que Covid-19 continuará se propagando mesmo após vacina

Por que os chamamos de Pets?
Folha Pet

Por que os chamamos de Pets?