Vacina

Paulo Câmara visita fábrica da Sputnik V no Brasil para negociar compra de vacinas

A Sputnik V já começou a ser aplicada na Argentina, país vizinho ao Brasil, com sucesso

Paulo Câmara visita fábrica da Sputnik V para negociar compra de vacinas para PernambucoPaulo Câmara visita fábrica da Sputnik V para negociar compra de vacinas para Pernambuco - Foto: Divulgação / SEI

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, participou, nesta terça-feira (2), da reunião para negociação da compra direta pelos estados da vacina Sputnik V, que será produzida pela União Química, no Brasil.

Realizada no Distrito Federal, a reunião, que teve a presença de outros gestores do Fórum dos Governadores do Brasil, contou com uma visita à fábrica que irá produzir o imunizante. 

“A documentação da Sputnik V foi entregue à Anvisa e, havendo autorização, já deveremos ter, a partir do mês de abril, a fabricação desse imunizante no Brasil. Isso vai nos ajudar a acelerar o processo de vacinação da nossa população, juntamente com a produção dos laboratórios Butantan e Fiocruz, para termos mais opções de vacinas. Até porque, a quantidade de vacinas, hoje, ainda está bem aquém do necessário para garantirmos uma cobertura satisfatória para a população brasileira”, afirmou Paulo Câmara. 



Caso o Governo Federal não cumpra com a demanda do País com relação às vacinas contra a Covid-19, governadores e prefeitos foram autorizados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a adquirir o imunizante de forma independente. 

O imunizante desenvolvido na Rússia foi um dos primeiros registrados no mundo, ainda em agosto de 2020, e já começou a ser aplicado na Argentina, país vizinho ao Brasil, com sucesso.

De acordo com a União Química, a Rússia dispõe de 10 milhões de doses da vacina para enviar ao Brasil assim que obtiver a aprovação na Anvisa, que ainda não ofereceu uma previsão de data para a conclusão desse processo. Ainda segundo a empresa, até dezembro, a Rússia terá condições de produzir e enviar ao Brasil outras 150 milhões de doses.   

A vistoria da Anvisa, que será realizada diretamente na fábrica da União Química, parceira brasileira do Instituto Gamaleya, da Rússia, está marcada para a próxima semana - entre 8 e 12 de março. 

Veto de Bolsonaro
Na visita, Paulo Câmara também externou sua preocupação com vetos do presidente Jair Bolsonaro com relação a trechos da Medida Provisória das Vacinas. O presidente vetou a Medida Provisória que dava prazo de cinco dias para a Anvisa aprovar o uso emergencial de vacinas.

“Se os organismos internacionais, que têm tanto critério na liberação de vacinas em outros países, estão liberando o uso, por que não haver um procedimento mais célere também no âmbito da Anvisa? Precisamos agilizar o plano de vacinação, com toda a segurança necessária, mas, infelizmente, o Foverno Federal tem barrado iniciativas legislativas que são fruto de muita discussão no Congresso Nacional”, comentou Paulo Câmara.

Arthur Lira
Ainda em Brasília, Paulo Câmara participou de videoconferência do Fórum dos Governadores do Brasil com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, para discutir estreitamento de relações entre os Estados e o Legislativo Federal no enfrentamento da pandemia e na celeridade do processo de imunização.

Lira se colocou à disposição dos governadores para fazer avançar essas pautas de interesse maior no Congresso Nacional. “Nós também solicitamos ao presidente da Câmara agilidade na implantação do novo auxílio emergencial e de outras pautas federativas que possam ajudar nesse ambiente que estamos enfrentando de pandemia e, ao mesmo tempo, de desemprego e recessão econômica”, completou Paulo Câmara.

Veja também

Lei estabelece suporte para identificar violência contra crianças e adolescentes
Blog da Folha

Lei estabelece suporte para identificar violência contra crianças e adolescentes

Confinamento na pandemia faz crescer casos de miopia em crianças
Pesquisa

Confinamento na pandemia faz crescer casos de miopia em crianças