saúde

Pazuello falará ao Senado sobre novas regras para o aborto após insistência do PT

O convite foi feito pela liderança do PT no Senado, que defende a revisão da portaria

Ministro da Saúde, Eduardo PazuelloMinistro da Saúde, Eduardo Pazuello - Foto: Marcos Corrêa/ PR

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, confirmou presença em uma reunião remota do Senado nesta quinta-feira (17) para dar explicações sobre a nova portaria da pasta para procedimentos de aborto legal no país.

O convite foi feito pela liderança do PT no Senado, que defende a revisão da portaria. Segundo o senador Rogério Carvalho (SE-PT), líder do partido na Casa, a norma "constrange e causa sofrimento à vítima, como forma de evitar a interrupção da gravidez, consequência de um crime de estupro".

O evento ainda não consta na agenda oficial de Pazuello. Uma outra tentativa de conversa havia sido marcada para 9 de setembro, mas não foi bem-sucedida.

Em agosto deste ano, após o caso da menina do Espírito Santo, o Ministério da Saúde editou uma portaria com novas regras para atendimento ao aborto nos casos permitidos por lei.

Entre as previsões da norma está a de que os médicos informem à mulher a possibilidade de ver o feto em ultrassonografia. A ação pode ser considerada uma maneira de demover a paciente.

O texto obriga profissionais de saúde a avisarem a polícia quando atenderem pacientes que peçam para interromper uma gestação em razão de estupro. A portaria também determina que as pacientes assinem um termo de consentimento com uma lista de possíveis complicações do aborto.

O aborto no Brasil é um direito legal previsto em casos de gravidez após estupro, de feto anencéfalo e quando há risco de morte materna.

Veja também

Brasil acumula 141.406 mortes pelo novo coronavírus
Saúde

Brasil acumula 141.406 mortes pelo novo coronavírus

Trump indica Amy Coney Barrett para Suprema Corte
internacional

Trump indica Amy Coney Barrett para Suprema Corte