Recife

PCR entrega mais de mil cestas básicas digitais a famílias atendidas pelos Compaz

Ação é fruto da parceria com o Instituto Gerando Falcões e beneficiará prioritariamente famílias chefiadas por mulheres

Entrega das cestas básicas digitaisEntrega das cestas básicas digitais - Foto: Rodolfo Loepert/PCR

A Prefeitura do Recife (PCR) iniciou, nesta quarta-feira (9), a entrega de cestas básicas digitais a 1,3 mil famílias atendidas pelos Centros Comunitários da Paz (Compaz) da capital pernambucana. 

O prefeito João Campos começou as entregas no Compaz Miguel Arraes, na praça da Caxangá, na Zona Oeste da Cidade. O gestor entregou os dez primeiros cartões com a parcela de R$ 150. 

Cada família beneficiada vai receber duas parcelas com este valor no total. A ação é fruto da parceria com o Instituto Gerando Falcões e beneficiará prioritariamente famílias chefiadas por mulheres. O investimento total é de R$ 300 mil. 

O auxílio será distribuído a 250 famílias que vivem no entorno de cada um dos quatro Compaz da cidade. As cestas básicas digitais são cartões do tipo vale-alimentação, da empresa Ticket, com a carga de R$ 150. 

A primeira parcela já fica disponível no momento da entrega e a segunda será creditada automaticamente 30 dias depois. O cartão poderá ser utilizado em mercados que fazem parte da rede credenciada da Ticket e não há prazo limite para o uso do valor creditado. 

“Com essa parceria a gente mostra que, sobretudo na crise, é preciso que o poder público dialogue com a iniciativa privada, com o terceiro setor. Eu queria aqui agradecer ao amigo Edu Lyra, que coordena e é o fundador da Gerando Falcões, uma instituição que tem atuação em todo o Brasil. E ele escolheu aqui em Pernambuco, a cidade do Recife e a rede de Compaz da nossa cidade”, declarou João Campos.

No Compaz Miguel Arraes, onde o prefeito acompanhou as primeiras entregas, todas as 250 famílias beneficiadas são chefiadas por mulheres. “São famílias em situação de vulnerabilidade e que não receberam nenhum tipo de benefício. Fizemos o cadastro e o filtro de quem vivia em situação mais grave. Muitas dessas pessoas são usuárias do Compaz e têm filhos bebês ou ainda na primeira infância”, explicou Juliana Novaes, gerente geral do equipamento. 

Uma dessas mães é a autônoma Adriana Domingos, de 39 anos, que mora no bairro do Prado. Ela está se recuperando da doença viral chikungunya e, ainda com as pernas inchadas, se dirigiu com a filha de 9 anos ao Compaz Miguel Arraes para receber o benefício. 

“Nesse momento de pandemia, a gente não está podendo ir para a rua trabalhar, então esse cartão vai ser uma grande ajuda para a minha família. Eu tenho três meninos pequenos que moram comigo, uma tem 9 anos, o outro tem 3 e um tem 10 meses. Vou comprar alimentação e itens de higiene, o que estiver faltando”, disse.

A dona de casa Joseane Silva, 43 anos, tem nove filhos e também está vivendo uma situação difícil com a pandemia de Covid-19. Três desses filhos moram com ela, além de um neto, filho da sua filha de 16 anos.  

“O benefício ajuda porque tem vezes que a gente não tem um lanche para dar aos filhos da gente e a gente agora tem uma ajuda com as duas parcelas de R$ 150. É um dinheiro que ajuda muito, vou poder comprar um arroz, um feijão, que às vezes eu não tenho, porque eu não recebo renda do pai deles, o pai não paga pensão não. Eu sobrevivo do Bolsa Família e algumas vezes aparece uma faxina, quando aparece, porque muitas vezes não aparece”, desabafou.

Por fim, a faxineira Janaína Ferreira, 37 anos, mora na comunidade Sítio do Berardo, no Prado, e tem 5 filhos com idades entre 2 e 19 anos. Além dos filhos, a mãe dela também vive na mesma casa. 

De acordo com Janaína, a cesta básica digital chegou no momento ideal. “A cesta vai ajudar porque estou desempregada no momento, faço um serviço aqui e outro ali. Vou comprar uma feira para os meus filhos se alimentarem bem. A gente vai levando, agradecendo a Deus e pedindo para essa doença acabar o mais rápido possível, para a gente conseguir emprego e dar mais educação aos nossos filhos”, comentou ela.

Campanha
A campanha Corona no Paredão, Fome Não! Do Instituto Gerando Falcões é uma iniciativa que visa apoiar o combate a fome no Brasil, durante a pandemia da Covid-19. 

Busca atender famílias em situação de extrema pobreza, por meio do trabalho em rede com organizações sociais e lideranças que atuem em territórios de vulnerabilidade social, utilizando a chamada "cesta básica digital".

Durante a entrega dos cartões, a liderança deverá utilizar o app cestabasicadigital.com, onde fará o registro final das famílias beneficiadas, juntamente com evidências em fotos. O treinamento para uso do app foi realizado previamente pela equipe da Gerando Falcões.

Veja também

Brasil reabre fronteira com Venezuela após mais de 1 ano, mas limita entrada
FRONTEIRAS

Brasil reabre fronteira com Venezuela após mais de 1 ano, mas limita entrada

Brasil tem 18,2 milhões de casos acumulados de covid-19
Coronavírus

Brasil tem 18,2 milhões de casos acumulados de covid-19